Efeito da hipertermia no prognóstico após acidente vascular encefálico isquêmico - Stroke 2009; 40:3051.

Estudos experimentais mostraram que a hipertermia é um determinante de pior prognóstico após um acidente vascular encefálico isquêmico (AVEi). Estudos clínicos que avaliaram o efeito da temperatura no desfecho pós-AVE tiveram, no entanto, limitações quanto ao tamanho da amostra. Monica Saini e colaboradores, da Universidade do Alabama, EUA, realizaram estudo com o objetivo de avaliar os efeitos da temperatura e tempo de hipertermia após AVEi.

Dados de 5.305 pacientes de estudos em AVE, a partir do Virtual International Stroke Trials Archive (VISTA), foram analisados. Os dados de temperatura ao início, em oito, 24, 48 e 72 horas, e em sete dias, foram avaliados em relação ao desfecho (ruim ou bom), com base na escala de Rankin modificada, aplicada após 3 meses. A hipertermia foi definida como temperatura superior a 37,2ºC e o...

Palavras chave: hipertermia, desfecho, pior, horas, temperatura, após, estudos, pacientes, ave, 72 horas, escala rankin, pior desfecho, superior, gravidade ave, escore, escala, gravidade, tempo, rankin, 20; 72 horas,

Divulgação



Publicidade

conteúdos relacionados
Search_LibdocFree @SearchWordsAux='Efeito da hipertermia no prognóstico após acidente vascular encefálico isquêmico - Stroke 2009; 40:3051. hipertermia, desfecho, pior, horas, temperatura, após, estudos, pacientes, ave, 72 horas, escala rankin, pior desfecho, superior, gravidade ave, escore, escala, gravidade, tempo, rankin, 20; 72 horas, ',@type='ARTICLE', @libdocidant=0, @max_rows=10, @key_rank=0


Assinantes


Esqueceu a senha?