Doença arterial periférica – Parte II

Equipe Editorial Bibliomed

Neste artigo:. - Tratamento. - Referências . Tratamento. 1. Modificação dos fatores de risco e terapia antiplaquetária. Na abordagem do pacientes com doença arterial periférica (DAP), os fatores de risco para aterosclerose devem ser identificados e tratados. Isso reduz a probabilidade de progressão da aterosclerose e ajuda a prevenir a ocorrência de eventos cardiovasculares adversos, nesses pacientes. Os indivíduos que interrompem o tabagismo apresentam um prognóstico mais favorável do que aqueles que continuam fumando. A terapia hipolipemiante agressiva reduz a progressão da aterosclerose, mas ainda não foi estabelecido se ela previne a progressão dos sintomas de claudicação para isquemia crítica dos membros. O uso de estatinas reduz os eventos cardiovasculares maiores, em pacientes com aterosclerose e podem melhorar a capacidade para a deambulação.. Os agentes anti-hipertensivos devem ser usados com o objetivo de atingir níveis pressóricos na faixa normal, para redução de eventos adversos como acidente vascular encefálico (AVE), insuficiência cardíaca congestiva e insuficiência renal. Ocasionalmente, reduções importantes da pressão arterial podem reduzir a perfusão de um membro isquêmico e, potencialmente, agravar ...

Palavras chave: aterosclerose, arterial, progressão, eventos, periférica, progressão, doença arterial periférica, terapia, doença, pé, redução, eventos cardiovasculares,

Divulgação



Publicidade

conteúdos relacionados
Search_LibdocFree @SearchWordsAux='Doença arterial periférica – Parte II aterosclerose, arterial, progressão, eventos, periférica, progressão, doença arterial periférica, terapia, doença, pé, redução, eventos cardiovasculares,',@type='ARTICLE', @libdocidant=16179, @max_rows=10, @key_rank=0


Assinantes


Esqueceu a senha?