Unidos até na morte

17 de março de 2006
Equipe Editorial Bibliomed

17 de Março de 2006. Estudo com 520 mil casais norte-americanos com idade entre 65 e 98 anos, acompanhados durante nove anos, mostra quão intenso pode ser o impacto da doença ou da morte de um cônjuge. Nesse levantamento, Nicholas Christakis, médico e sociólogo da Universidade Harvard, e o sociólogo Paul Allison, da Universidade da Pensilvânia, verificaram que é 21% maior a probabilidade de o homem também morrer depois que sua companheira se foi, não importando se ela estava doente ou não. No caso das viúvas o risco aumenta 17%.

Fonte:...

Palavras chave: não, sociólogo, universidade, anos, morte, verificaram é, verificaram, pensilvânia verificaram, pensilvânia verificaram é, allison, 21% maior, é 21%, homem, probabilidade, maior, t

 

Divulgação



Publicidade

conteúdos relacionados

Clipping / Publicado em 30 de julho de 2007
Incidência de linfoma de células T nos Estados Unidos
Clipping / Publicado em 12 de junho de 2006
Droga e vacina são esperança contra a Aids
Clipping / Publicado em 17 de março de 2006
Refrigerantes podem aumentar erosão do dente, concluíram pesquisadores
Clipping / Publicado em 13 de março de 2006
Mortes por sarampo caem pela metade em 5 anos
Clipping / Publicado em 3 de março de 2006
Esteróides danificam cérebro de ratos, diz estudo
Clipping / Publicado em 24 de fevereiro de 2006
Inteligência dos autistas é subestimada pela medicina e pelo público
Clipping / Publicado em 4 de janeiro de 2005
Cientistas dizem ter identificado proteína que dispara alergia
Clipping / Publicado em 3 de setembro de 2004
Células-tronco do cabelo podem ter a cura para a calvície e queimaduras
Clipping / Publicado em 13 de julho de 2004
Perspectivas para o emprego de células-tronco em pacientes vítimas de infartos
Clipping / Publicado em 15 de dezembro de 2003
Revisão discute papel da vitamina C na carcinogênese


Assinantes


Esqueceu a senha?