Risco de fratura recorrente: um estudo de base populacional - Pediatrics. DOI: 10.1542/peds.2017-2552.

Benjamin G. Escott, Teresa Para, Dorcas E. Beaton, Andrew W. Howard

Objetivos: Para determinar se as crianças que sofrem uma fratura na infância tiveram uma incidencia aumentada de fratura mais tarde na infância ou no início da idade adulta. A hipótese nula a priori era de que crianças que sofreram uma fratura não teriam uma taxa aumentada de futuras fraturas em comparação com crianças que não sofreram fratura ao controlar covariáveis ​​importantes.

Métodos: Este é um estudo de coorte retrospectivo de base populacional utilizando bases de dados de cuidados de saúde em Ontário. Aproximadamente 2,5 milhões de crianças saudáveis, com idades entre 0 e 15 anos, residentes em Ontário, Canadá, entre 1º de abril de 2003 e 31 de março de 2004, foram incluídas e acompanhadas...

Palavras chave: Pediatria, fratura, risco, saúde óssea, recorrência.

Divulgação



Publicidade

conteúdos relacionados
Artigo / Publicado em 14 de dezembro de 2012

Efeitos ósseos dos medicamentos cardiovasculares

Artigo / Publicado em 30 de março de 2020

HIV e acidente com instrumentos perfuro-cortantes: riscos de transmissão e princípios da quimioprofilaxia

Artigo / Publicado em 17 de fevereiro de 2020

Carcinoma Hepatocelular – Epidemiologia e Fatores de Risco

Artigo / Publicado em 3 de dezembro de 2019

Ruptura do Tendão de Aquiles

Artigo / Publicado em 18 de setembro de 2019

Metástases: primeira manifestação no tecido ósseo

Artigo / Publicado em 9 de julho de 2014

A eletrocardiografia nos estudos populacionais: valor prognóstico

Artigo / Publicado em 3 de março de 2017

Abordagem terapêutica da fratura do Colo Femoral por Esforço

Artigo / Publicado em 15 de fevereiro de 2019

Neuroma de Morton: tratamento clínico e cirúrgico

Artigo / Publicado em 11 de março de 2014

As Quedas e as Fraturas em Pessoas com Idade Superior a 65 Anos

Artigo / Publicado em 29 de maio de 2014

Doença de Gaucher



Assinantes


Esqueceu a senha?