Infecções Cutâneo-Mucosas e de Partes Moles em Pacientes Diabéticos

Equipe Editorial Bibliomed

Das lesões cutâneas observadas em diabéticos, a infecção do hálux é a mais comum (49%), seguida pelo comprometimento dos pés (30%). A infecção da pele e de partes moles em diabéticos encontra-se facilitada por conta de três mecanismos:. . A) Alterações da barreira muco-cutânea [devido ao ressecamento da pele, surgimento de micro lesões, alterações tróficas, feridas, queimaduras, lesões no tecido celular sub-cutâneo, lesões musculares causadas pelas injeções, maceração da pele causada pela incontinência esfincteriana (urinária e fecal), úlceras de decúbito, cáries e lesões dentárias, e sondas urinárias, microangiopatia (lesões dos vasos sangüíneos) local e alterações do sistema imunológico. As lesões podem ser classificadas como:. . B) Dermato-mucosas sem risco de vida, furunculose, erisipela, abscessos cutâneos, candidíase, infecções de próteses penianas, balanopostites.. . C) Grave otite externa maligna, micoses cutâneas ou viscerais (mucormicosis - criptococose), infecções necrosantes dos tecidos: . . Leves - sem gangrena. Clostridiais - Fasciíte. Necrotizante - Celulite. Necrotizante - Gangrena de Fournier. Musculares - Piomiosite . . Furunculose . . Habitualmente é um quadro leve, mas às vezes pode produzir um antraz ou se localizar no pescoço. O agente é o estafiloco aureus. Este quadro em repetição pode ser a apresentação inicial ...

Palavras chave: é, lesões, diabéticos, ser, infecções, cândida, pacientes, mais, próteses, pele, infecção, é mais, aumento, são, freqüente, alterações, é mais freqüente, próteses penianas, mais freqüente, população diabética,

Divulgação



Publicidade

conteúdos relacionados


Assinantes


Esqueceu a senha?