Substância produzida pelo corpo poderia tratar a malária

26 de fevereiro de 2003
Equipe Editorial Bibliomed

26 de Fevereiro de 2003. Um nutriente naturalmente produzido pelo corpo e encontrado em alguns alimentos pode ser a mais nova arma no tratamento para a malária, afirma uma equipe internacional de pesquisadores. Segundo a pesquisa, das 75 crianças africanas estudadas, as que apresentaram menor níveis do nutriente arginina sofriam os efeitos mais graves da malária. O estudo sugere que a combinação da arginina, que é usada para tratar doenças cardíacas e circulatórias, com remédios para a malária, seria uma forma mais eficiente de combater a doença.

Palavras chave: malária, mais, corpo, tratar, arginina, sugere a combinação, graves, estudo sugere, sugere a combinação arginina, cardíacas, arginina é, a combinação arginina, usada, é, a combinação

Divulgação



Publicidade

conteúdos relacionados

Clipping / Publicado em 17 de março de 2006
Refrigerantes podem aumentar erosão do dente, concluíram pesquisadores
Clipping / Publicado em 13 de outubro de 2005
Teste permite identificar ataque cardíaco inaparente
Clipping / Publicado em 10 de outubro de 2005
Desfibriladores e cardioversores automáticos implantáveis aumentam sobrevida de cardiopatas
Clipping / Publicado em 8 de setembro de 2005
Atentados de 11 de setembro ainda fazem vítimas
Clipping / Publicado em 26 de janeiro de 2004
Surto de cólera em Moçambique lota hospitais
Clipping / Publicado em 11 de novembro de 2003
Pessoas com surdez profunda recuperam a audição
Clipping / Publicado em 5 de junho de 2003
Publicada revisão acerca dos fatores genéticos que cercam os cânceres de mama e de ovário
Clipping / Publicado em 8 de maio de 2003
Avaliado o padrão de reestenose dos stents embebidos em rapamicina
Clipping / Publicado em 2 de abril de 2003
Avaliadas as lesões causadas por mergulhos a partir de trampolins
Clipping / Publicado em 3 de fevereiro de 2003
Publicada revisão acerca da nova droga Ezetimibe para redução do colesterol


Assinantes


Esqueceu a senha?