Associação de mononucleose infecciosa na infância e adolescência com diagnóstico de esclerose múltipla subsequente entre irmãos

07 de dezembro de 2021
Equipe Editorial Bibliomed

07 de dezembro de 2021 (Bibliomed). O vírus Epstein-Barr e sua manifestação aguda, a mononucleose infecciosa (MI), estão associados a um risco aumentado de esclerose múltipla (EM). Ainda se discute se essa associação é confundida com suscetibilidade à infecção.

Um novo estudo teve como seu objetivo avaliar se a MI diagnosticada em hospitais durante a infância, adolescência ou idade adulta jovem está associada ao diagnóstico subsequente de EM, independentemente de fatores familiares...

Palavras chave: Pediatria, vírus Epstein-Barr, mononucleose infecciosa, risco, esclerose múltipla.

 

Divulgação



Publicidade

conteúdos relacionados

Clipping / Publicado em 30 de abril de 2007
Franceses retiram vesícula de paciente pela vagina
Clipping / Publicado em 30 de março de 2007
Diabetes tipo 2 pode aumentar o risco de doença de Parkinson
Clipping / Publicado em 9 de junho de 2006
Estudo explica atração por alimentos apetitosos
Clipping / Publicado em 6 de dezembro de 2005
Trânsito mata mais que terrorismo revela estudo
Clipping / Publicado em 15 de junho de 2005
Silenciosa e com complicações
Clipping / Publicado em 6 de maio de 2005
Inversão térmica aumenta casos de doenças respiratórias
Clipping / Publicado em 30 de dezembro de 2004
Pesquisa determina quais pacientes desenvolverão mal de Alzheimer
Clipping / Publicado em 26 de novembro de 2004
Pela Vida
Clipping / Publicado em 27 de novembro de 2003
Campanha pela doação de órgãos ganha reforço de artistas em São Paulo
Clipping / Publicado em 31 de março de 2003
Prostatectomia laparoscópica leva a maior incidência de incontinência urinária no pós-operatório


Assinantes


Esqueceu a senha?