Rifaximina no tratamento da encefalopatia hepática - New England Journal of Medicine 2010; 362:1071-81.

A encefalopatia hepática é uma complicação crônica debilitante da cirrose hepática. A eficácia da rifaximina, um antibiótimo minimamente absorvido, é bem documentada no tratamento da encefalopatia hepática aguda, mas sua eficácia na prevenção da doença ainda não foi estabelecida.

Nathan Bass e colaboradores, da Universidade da Califórnia em São Francisco, EUA, realizaram estudo randomizado, duplo-cego e controlado por placebo, no qual incluíram 299 pacientes em remissão de encefalopatia hepática recorrente resultante de doença hepática crônica. Eles receberam rifaximina na dose de 550 mg duas vezes ao dia (140 pacientes) ou placebo (159 pacientes), por seis meses. O desfecho primário foi o tempo até o primeiro episódio de encefalopatia hepática. Desfechos secundários foram o tempo até a primeira hospitalização devido a encefalopatia...

Palavras chave: encefalopatia, hepática, encefalopatia hepática, rifaximina, pacientes, placebo, tratamento, grupo, episódio, seis meses, hospitalização, meses, seis, tempo até, journal medicine 2010;, grupo rifaximina, mais, período, remissão, comparação,

Divulgação



Publicidade

conteúdos relacionados
Search_LibdocFree @SearchWordsAux='Rifaximina no tratamento da encefalopatia hepática - New England Journal of Medicine 2010; 362:1071-81. encefalopatia, hepática, encefalopatia hepática, rifaximina, pacientes, placebo, tratamento, grupo, episódio, seis meses, hospitalização, meses, seis, tempo até, journal medicine 2010;, grupo rifaximina, mais, período, remissão, comparação, ',@type='ARTICLE', @libdocidant=0, @max_rows=10, @key_rank=0


Assinantes


Esqueceu a senha?