HIV e acidente com instrumentos perfuro-cortantes: riscos de transmissão e princípios da quimioprofilaxia

Equipe Editorial Bibliomed

Neste artigo:. - Introdução - Avaliação dos riscos - Testes anti-HIV pós-acidente - Princípios da Quimioprofilaxia e acompanhamento - Conclusão - Referências Bibliográficas. Introdução. Acidentes com instrumentos perfuro-cortantes (AIPC) infelizmente são comuns. Na maior parte dos casos, a preocupação recai sobre os riscos de transmissão do vírus da imunodeficiência humana (HIV), motivo pelo qual todo profissional de saúde deve ser capaz de reconhecer os fatores associados à transmissibilidade do HIV e a conduta mais adequada a ser tomada após um AIPC.. Na literatura leiga, não faltam relatos de profissionais de saúde vítimas de acidentes com instrumentos perfuro-cortantes (AIPC). Em boa parte dos eventos, a preocupação maior envolve o risco de contágio pelo HIV. As manifestações de uma infecção aguda pelo HIV surgem cerca de 3-4 semanas após a contaminação em 80% dos pacientes, com febre, adenopatias, faringite e erupção cutânea máculo-papular-eritematosa (Síndrome de mononucleose-símile), e este quadro clínico inespecífico colabora para aumentar o grau de angústia envolvido no AIPC e pode prejudicar a profilaxia ...

Palavras chave: Risco, HIV, pele, transmissão, avaliação, instrumentos pérfuro-cortantes, saliva, líquidos, prevenção, AIDS, ELISA, acidente, AZT.

Divulgação



Publicidade

conteúdos relacionados
Search_LibdocFree @SearchWordsAux='HIV e acidente com instrumentos perfuro-cortantes: riscos de transmissão e princípios da quimioprofilaxia Risco, HIV, pele, transmissão, avaliação, instrumentos pérfuro-cortantes, saliva, líquidos, prevenção, AIDS, ELISA, acidente, AZT.',@type='ARTICLE', @libdocidant=17650, @max_rows=10, @key_rank=0


Assinantes


Esqueceu a senha?