Terapia de reposição hormonal: as antigas e as novas evidências

Equipe Editorial Bibliomed

Por Equipe Editorial Bibliomed. . Neste Artigo:. . - As novas evidências. - As evidências anteriores. - Conclusão. - Veja outros artigos relacionados ao Tema. . As novas evidências. . O National Institutes of Health (NIH), nos Estados Unidos, interrompeu recentemente um grande ensaio clínico multicêntrico que avaliava a reposição hormonal com estrógeno e progesterona combinados em mulheres com útero, projetado para ser concluído em 2005. O estudo, iniciado em 1993 (durou um total de 5.2 anos), envolvia 40 centros clínicos nos Estados Unidos e 16.608 mulheres com idade entre 50 e 79 anos (com útero). O objetivo era avaliar o efeito da reposição combinada na prevenção de doença cardíaca e fratura de quadril, e as alterações no risco de câncer de colón e de útero. As participantes receberam placebo ou 0,625 mg/dia de estrógeno eqüino com 2.5 mg/dia de acetato de medroxiprogesterona.Um estudo paralelo com reposição de estrógeno isolado em mulheres sem útero continua em andamento, por persistirem indefinidas as relações custo-benefício nesta situação.. . O Study's Data and Safety Monitoring Board (DSMB) recomendou a interrupção do estudo, em 31 de maio de 2002, devido ao aumento da incidência de câncer ...

Palavras chave: reposição, estudo, hers, mulheres, útero, doença, risco, câncer, evidências, aumento, estrógeno, efeito, eventos, anos, número, reposição hormonal, hers ii, doença cardíaca, reposição combinada, portadoras doença cardíaca,

Divulgação



Publicidade

conteúdos relacionados
Search_LibdocFree @SearchWordsAux='Terapia de reposição hormonal: as antigas e as novas evidências reposição, estudo, hers, mulheres, útero, doença, risco, câncer, evidências, aumento, estrógeno, efeito, eventos, anos, número, reposição hormonal, hers ii, doença cardíaca, reposição combinada, portadoras doença cardíaca, ',@type='ARTICLE', @libdocidant=14042, @max_rows=10, @key_rank=0


Assinantes


Esqueceu a senha?