Manejo das Vias Aéreas no Paciente Politraumatizado

Equipe Editorial Bibliomed

Dr. Lobito. . De todas as tarefas que se espera que os serviços de emergência prestem no campo de atenção inicial ao paciente politraumatizado, nenhuma é mais importante que o controle das vias aéreas.. . A forma mais rápida de morte no paciente traumatizado é, habitualmente, provocada pela incapacidade de proporcionar oxigênio, através do sangue, ao cérebro e outros órgãos nobres; daí a importância de manter uma oxigenação adequada e prevenir assim as fatais hipóxia e hipercapnia. . . Reconhecimento do problema. . Quanto a sintomatologia, o paciente pode apresentar: deterioração mental, roncos, estridor, assimetria torácica, taquipnéia, diminuição ou abolição dos sons respiratórios; além disso, podem haver lesões físicas evidentes no crânio, face, pescoço e tórax.. . A nível pré-hospitalar, o manejo inicial consiste em tornar as vias aéreas permeáveis no paciente inconsciente, assegurando o deslocamento da língua e epiglote. Isto pode ser conseguido, elevando-se a mandíbula (antigamente chamada de sub-luxação do maxilar inferior) ou o mento. Se o paciente não é capaz de controlar suas vias aéreas e a sucção não está disponível, deve-se colocar, com cuidado, o paciente em posição de recuperação ou semi-pronação esquerda. Devemos lembrar que uma das maiores ameaças às vias aéreas são os vômitos e a broncoaspiração.. . Todo paciente que fica ...

Palavras chave: é, não, paciente, vias, vias aéreas, ser, aéreas, tubo, mais, não é, pulmonar, são, manejo, paciente politraumatizado, cânula orofaríngea, pacientes, falta, inspirada, cânula, risco infecções boca boca,

Divulgação



Publicidade

conteúdos relacionados


Assinantes


Esqueceu a senha?