Tratamento Intensivo Neurológico e Neurocirúrgico - 4º Ed. - Capítulo 02 - Fisiologia Intracraniana e Pressão Intracraniana Elevada

Uma compreensão das mudanças fisiológicas que resultam de um processo expansivo na caixa intracraniana é essencial para o tratamento de lesões expansivas e edema cerebral, e para o uso efetivo de aparelhos de monitoração da pressão intracraniana. Muito dessa compreensão derivou do trabalho clínico de Lundberg e colegas com pacientes com ferimentos cranianos nos anos 60 (Capítulo 12) e observações experimentais de efeitos de processo expansivo em animais. Desde então, esse trabalho tem sido suplementado por um estudo sistemático em pacientes com ferimentos cranianos e tumefação cerebral intensa depois de um infarto cerebral. Não está sempre claro como esse trabalho se relaciona com as decisões diárias em uma unidade de tratamento intensivo. Talvez o maior problema tenha sido o foco na manipulação das variáveis fisiológicas sem uma compreensão nítida de como podem alterar o prognóstico, o que freqüentemente leva a resultados fisiologicamente desejáveis, mas sem melhora no prognóstico. Todavia, a exposição seguinte dá uma base para tratar com sensibilidade todos os pacientes com expansões cerebrais. A caixa intracraniana serve para proteger o cérebro, provê-lo com nutrientes e remover produtos de degradação. Alguns aspectos fisiológicos....

Divulgação



Publicidade

conteúdos relacionados
Search_LibdocFree @SearchWordsAux='Tratamento Intensivo Neurológico e Neurocirúrgico - 4º Ed.',@type='ARTICLE', @libdocidant=0, @max_rows=10, @key_rank=0


Assinantes


Esqueceu a senha?