Endocrinologia e Diabetes - Parte 03 – Doenças da Tireóide – Capítulo 25 – Disfunção Mínima da Tireóide

José augusto Sgarbi Heloísa Villar João Hamilton Romaldini . Introdução . A doença tireoidiana subclínica tem sido definida como uma condição puramente laboratorial, caracterizada por níveis anormais da tireotrofina (tSH) na presença de concentrações normais dos hormônios tireoidianos, em pacientes assintomáticos ou oligossintomáticos.1-3 o termo subclínico, no entanto, pode não ser inteiramente apropriado, uma vez que muitos pacientes apresentam-se com sintomas associados à disfunção tireoidiana e parecem apresentar risco elevado de morbidades. Desse modo, esta condição clínica poderia representar uma estágio inicial de uma disfunção tireoidiana com repercussões teciduais mais leves; por isso, muitos têm preferido o termo disfunção mínima da tireóide (DMt). . O reconhecimento das formas de apresentação clínica da DMt, hipertireoidismo e hipotireoidismo subclínicos, tornou-se possível apenas nas últimas décadas, após avanços significativos na sensibilidade e na precisão de novas gerações de ensaios para a determinação do tSH,4 capazes de discriminar valores séricos tão baixos quanto 0,1mu/l e 0,01mu/l,....

Divulgação



Publicidade

conteúdos relacionados


Assinantes


Esqueceu a senha?