evans

 

Assinantes


Esqueceu a senha?

Assinantes


Esqueceu a senha?
buscar literatura médica
resultado
informação buscada: evans
total de (21) resultados
  • Desfechos do desenvolvimento neurológico no estudo Early CPAP and Pulse Oximetry Trial - New England Journal of Medicine 2012; 367:2495-2504.

    Vaucher YE, Peralta-Carcelen M, Finer NN, Carlo WA, Gantz MG, Walsh MC, Laptook AR, Yoder BA, Faix RG, Das A, Schibler K, Rich W, Newman NS, Vohr BR, Yolton K, Heyne RJ, Wilson-Costello DE, Evans PW, Goldstein RF, Acarregui MJ, Adams-Chapman I, Pappas A, Hintz SR, Poindexter B, Dusick AM, McGowan EC, Ehrenkranz RA, Bodnar A, Bauer CR, Fuller J, O'Shea TM, Myers GJ, Higgins RD. Contexto: Resultados prévios do nosso estudo sobre o tratamento precoce com pressão positiva contínua em vias aéreas

    Literatura Médica / Publicado em 25 de Janeiro de 2013
  • Uso de vitaminas e suplementos dietéticos por pacientes com esclerose múltipla - JAMA Neurol. 2018;75(8):1013-1021.

    Emily Evans, MD; Laura Piccio, MD, PhD; Anne H. Cross, MD. Importância: Pesquisas feitas com pacientes portadores de esclerose múltipla relatam que a maioria está interessada em modificar sua dieta e usar suplementos para reduzir potencialmente a gravidade e os sintomas da doença. Esta revisão fornece uma visão geral atualizada do atual estado de evidência para o papel que vitaminas e suplementos dietéticos desempenham na esclerose múltipla e seus modelos animais, com ênfase em estudos recentes,

    Literatura Médica / Publicado em 18 de setembro de 2018
  • Associação de desempenho cognitivo, incidência de acidente cerebrovascular (ACV) e mortalidade em idosos - Stroke 2014; 45:2563-7

    Rajan KB, Aggarwal NT, Wilson RS, Everson-Rose SA, Evans DA. Contexto e Objetivo: O ACV aumenta o risco de demência; no entanto, associação bidirecional da incidência de ACV e declínio cognitivo abaixo do limiar de demência não está bem estabelecida. Além disso, tanto o declínio cognitivo quanto o ACV aumenta o risco de morte. Métodos: Estudo de coorte longitudinal baseado na população com 7.217 adultos sem história de ACV, em uma comunidade birracial, os quais foram entrevistados em

    Literatura Médica / Publicado em 15 de outubro de 2014
  • Lesão renal aguda (LRA) após cirurgia de revascularização coronariana (CRVM) e risco a longo prazo de doença renal em estádio terminal (DRET) - Circulation 2014; 130:2005-11

    Rydén L, Sartipy U, Evans M, Holzmann MJ Contexto: LRA é uma complicação comum após CRVM, e está associada a desfechos adversos. No entanto, a relação entre LRA após CRVM e o risco a longo prazo de DRET é desconhecida. Métodos e Resultados: Este estudo incluiu 29.330 pacientes que foram submetidos a CRVM primária isolada, na Suécia, entre 2000 e 2008. LRA foi classificada de acordo com a classificação AKIN (Acute Kidney Injury Network): estádio 1, > 0,3 mg/dL (> 26 μmol/L)

    Literatura Médica / Publicado em 21 de Janeiro de 2015
  • O bloqueio in vivo do fator de necrose tumoral- acelera a recuperação endotelial funcional pós-angioplastia - Circulation 2001;104:1754

    O fator de necrose tumoral- (TNF) é expresso localmente em artérias em locais de lesão por balão. Estudos in vitro mostraram que o TNF inibe a progressão do ciclo celular e induz apoptose em células endoteliais. . O Dr. Kevin Krasinski e colaboradores da Division of Cardiovascular Medicine, St. Elizabeth’s Medical Center, Tufts University School of Medicine, Boston, Massachusetts, EUA; realizaram uma série de experimentos para testar a hipótese que a inibição do TNF poderia acelerar a recuperação

    Literatura Médica / Publicado em 13 de julho de 2010
  • O bloqueio in vivo do fator de necrose tumoral- acelera a recuperação endotelial funcional pós-angioplastia - Circulation 2001;104:1754

    O fator de necrose tumoral- (TNF) é expresso localmente em artérias em locais de lesão por balão. Estudos in vitro mostraram que o TNF inibe a progressão do ciclo celular e induz apoptose em células endoteliais. . O Dr. Kevin Krasinski e colaboradores da Division of Cardiovascular Medicine, St. Elizabeth’s Medical Center, Tufts University School of Medicine, Boston, Massachusetts, EUA; realizaram uma série de experimentos para testar a hipótese que a inibição do TNF poderia acelerar a recuperação

    Literatura Médica / Publicado em 13 de julho de 2010
  • Ácido linoléico dietético e aterosclerose carotídea - American Journal of Clinical Nutricion 2003; 77:819-825

    A ingestão de ácido linoléico dietético está associada com baixo risco de mortalidade por doença cardiovascular. Entretanto, não é conhecido se o ácido linoléico está associado com um baixo risco de aterosclerose carotídea. . O Dr. Luc Djoussé e colegas da Section of Preventive Medicine & Epidemiology, Evans Department of Medicine, Boston University School of Medicine e do Department of Cardiovascular Genetics, University of Utah, Salt Lake City, realizaram um estudo com o objetivo

    Literatura Médica / Publicado em 13 de julho de 2010
  • Sedação com ketamina intravenosa para os procedimentos oncológicos dolorosos. - Pediatric Anesthesia 2005; Volume 15 Issue 2 Page 131

    O Dr. Dan Evans e colegas do Departments of Anesthesiology and Oncology, British Columbia Children's Hospital, University of British Columbia, Vancouver, BC, Canadá realizaram um estudo para determinar a eficácia e os efeitos adversos da sedação com ketamina intravenosa (IV) administrada por médicos não-anestesistas para procedimentos dolorosos.. Foi conduzido um estudo de agente único com um protocolo de sedação para procedimentos usando doses tituláveis de ketamina IV ( máximo de 2 mg·kg1)

    Literatura Médica / Publicado em 13 de julho de 2010
  • Sedação com ketamina intravenosa para os procedimentos oncológicos dolorosos. - Pediatric Anesthesia 2005; Volume 15 Issue 2 Page 131

    O Dr. Dan Evans e colegas do Departments of Anesthesiology and Oncology, British Columbia Children's Hospital, University of British Columbia, Vancouver, BC, Canadá realizaram um estudo para determinar a eficácia e os efeitos adversos da sedação com ketamina intravenosa (IV) administrada por médicos não-anestesistas para procedimentos dolorosos.. Foi conduzido um estudo de agente único com um protocolo de sedação para procedimentos usando doses tituláveis de ketamina IV ( máximo de 2 mg·kg1)

    Literatura Médica / Publicado em 13 de julho de 2010
  • Sedação com ketamina intravenosa para os procedimentos oncológicos dolorosos. - Pediatric Anesthesia 2005; Volume 15 Issue 2 Page 131

    O Dr. Dan Evans e colegas do Departments of Anesthesiology and Oncology, British Columbia Children's Hospital, University of British Columbia, Vancouver, BC, Canadá realizaram um estudo para determinar a eficácia e os efeitos adversos da sedação com ketamina intravenosa (IV) administrada por médicos não-anestesistas para procedimentos dolorosos.. Foi conduzido um estudo de agente único com um protocolo de sedação para procedimentos usando doses tituláveis de ketamina IV ( máximo de 2 mg·kg1)

    Literatura Médica / Publicado em 13 de julho de 2010
< Anterior de 3 Próxima >

Assinantes


Esqueceu a senha?