Manual de Anestesiologia Clínica - 4a. Ed. - Capítulo 08 - Segurança em Anestesia

Jeffrey B. Cooper. . I. O risco da anestesia. . A. Não existe uma medida precisa do risco global da anestesia, nem ele pode ser previsto para um determinado paciente. Nos anos 50, estimava-se que a anestesia contribuía para três mortes em 10.000 procedimentos cirúrgicos. A experiência com os bloqueadores neuromusculares e com o controle da ventilação, a melhoria da técnica de ressuscitação cardiopulmonar e a introdução de novas drogas significativamente diminuíram esta incidência. A taxa de mortalidade de pacientes saudáveis submetidos a cirurgia eletiva é atualmente estimada em 1/50.000 a 1/150.000. A taxa de morbidade por lesão grave (p. ex., lesão neurológica permanente) é 30% maior do que a taxa de mortalidade. Eventos inesperados, indesejáveis, que exigem a intervenção do anestesiologista, como hipotensão, hipovolemia, obstrução da via aérea e broncoespasmo, ocorrem com freqüência. O anestesiologista deve corrigir prontamente os distúrbios da homeostase potencialmente deletérios e estar preparado para intervir rapidamente, a fim de prevenir que pequenos problemas possam evoluir para um resultado adverso.. . B. Os infortúnios graves....

Divulgação



Publicidade

conteúdos relacionados



© 2000 - 2018 Bibliomed, Inc. Todos os Direitos Reservados contato imprensa