Treinamento em altitude elevada não têm efeito nos sintomas da doença aguda das montanhas

10 de setembro de 2012
Equipe Editorial Bibliomed

10 de setembro de 2012 (Bibliomed). Altitudes em que os atletas competem ou treinam não costumam exceder 2000-2500 metros. Nessas altitudes moderadas, a doença aguda das montanhas (DAM) é leve, transitória e afeta até 25% de uma população de turistas em risco. Dados inéditos incluídos em um artigo de revisão demonstram que a atividade física mais intensa associada com treinamento em altitude elevada ou montanhismo não aumentam a prevalência ou a gravidade da DAM nessas altitudes. Essas conclusões também podem ser estendidas para o uso da hipóxia normobárica,...

Palavras chave: treinamento, altitude, doença das montanhas, mal das montanhas, atletas

Copyright © 2012 Bibliomed, Inc.

Divulgação



Publicidade

conteúdos relacionados

Notícia / Publicada em 26 de abril de 2012

Doenças respiratórias são comuns em nadadores de elite

Notícia / Publicada em 1 de dezembro de 2010

Adultos devem ser encorajados a usar proteção solar mesmo em dias nublados

Notícia / Publicada em 14 de janeiro de 2009

Mortalidade no monte Everest, 1921-2006

Notícia / Publicada em 18 de novembro de 2008

Efeitos da viagem em linha aérea comercial sobre a saturação de oxigênio em atletas

Notícia / Publicada em 6 de abril de 2004

Ginkgo biloba não previne os sintomas da "doença das alturas"

Notícia / Publicada em 21 de fevereiro de 2002

Condicionamento físico intenso não prejudica crescimento

Notícia / Publicada em 26 de dezembro de 2000

Enxaqueca Pós-Traumática Pode Resultar de Passeios em Montanha Russa

Notícia / Publicada em 24 de outubro de 2000

Jovem Inglesa Morre em Decorrência da “Síndrome da Classe Econômica”

Notícia / Publicada em 16 de outubro de 2000

Anormalidades Acentuadas na Repolarização Ventricular Isoladamente Não Deve Atrapalhar Atletas



© 2000 - 2019 Bibliomed, Inc. Todos os Direitos Reservados contato imprensa