Terapia Antitrombótica após Síndrome Coronariana Aguda ou Intervenção Coronária Percutânea na Fibrilação Atrial - N Engl J Med 2019; 380:1509-1524.

Renato D. Lopes, MD, Ph.D., Gretchen Heizer, MS, Ronald Aronson, MD, Amit N. Vora, MD, MPH, Tyler Massaro, Ph.D., Roxana Mehran, MD, Shaun G. Goodman, MD Dra. Stephan Windecker, Harald Darius, MD, Jia Li, Ph.D., Oleg Averkov, MD, Ph.D., M. Cecilia Bahit, MD, et al., Para os Investigadores AUGUSTUS *

Antecedentes: Os egimes adequados de tratamentos antitrombóticos para pacientes com fibrilação atrial com síndrome coronariana aguda ou submetidos à intervenção coronariana percutânea (ICP) não são claros.

MÉTODOS: Em um estudo internacional com um planejamento fatorial dois por dois, designamos aleatoriamente pacientes com fibrilação atrial que tinham uma síndrome coronariana aguda ou haviam sido submetidos à ICP e planejavam usar um inibidor P2Y12 para receber apixabana ou...

Palavras chave: Cardiologia, apixabana, aspirina, placebo, fibrilação atrial, eventos isquêmicos.

Divulgação



Publicidade

conteúdos relacionados


Assinantes


Esqueceu a senha?