Esplenectomia Subtotal


Equipe Editorial Bibliomed

Andy Petroianu. . Dentro de uma linha de pesquisa iniciada em 1979, observamos que o pólo superior esplênico é vascularizado pelos vasos esplenogástricos, que, ao contrário do que é mostrado na literatura anatômica e cirúrgica, não têm relação com o pedículo esplênico. . . Com base nesses achados, desenvolvemos, a partir de 1981, a esplenectomia subtotal preservando o pólo superior do baço vascularizado apenas pelos vasos esplenogástricos. . . Após estudos experimentais em camundongos, ratos, cobaias, coelhos, gatos, cães e porcos, e com a autorização de comitês de ética, passamos a realizar essa operação na clínica cirúrgica desde 1984, Atualmente, após 20 anos de pesquisas nessa área, já temos 138 pacientes tratados de hipertensão porta esquistossomática (97 casos), trauma esplênico grave (32 casos), metaplasia mielóide devido a mielofibrose (3 casos), doença de Gaucher (4 casos), leucemia linfocítica crônica (1 caso) e cistoadenoma de cauda pancreática (1 caso). Nos doentes com hipertensão porta, a esplenectomia subtotal foi combinada com anastomose esplenorrenal centralizada (23 casos) ou desconexão porta-varizes (74 casos). O tratamento do cistoadenoma pancreático combinou a esplenectomia subtotal com pancreatectomia distal. Nenhum desses pacientes teve qualquer complicação relacionada à cirurgia sobre o baço.. . O procedimento para a esplenectomia ...

Palavras chave: casos, esplênico, baço, vasos, subtotal, esplenectomia, parte, esplenogástricos, vasos esplenogástricos, esplenectomia subtotal, categute, hipertensão porta, porta, hipertensão, presença, pólo, categute cromado 2-0, cromado 2-0, gaucher, devido,

Divulgação



Publicidade

conteúdos relacionados



© 2000 - 2019 Bibliomed, Inc. Todos os Direitos Reservados contato imprensa