Fatores preditivos de eventos cardíacos em cirurgia vascular


Equipe Editorial Bibliomed

Neste artigo:. - Introdução - Avaliação clínica - Doenças e condições com características específicas no período perioperatório - Conclusões - Referências Bibliográficas. Introdução. Os pacientes com proposta de uma cirurgia vascular não cardíaca (CV) apresentam diversas comorbidades, sendo estas muitas vezes associadas a eventos cardíacos adversos maiores (ECAM). De uma maneira ampla, os eventos cardíacos maiores perioperatórios incluem arritmias cardíacas, infarto do miocárdio (IM), edema pulmonar cardiogênico, insuficiência cardíaca aguda (ICA) e parada cardíaca (PC). Os ECAM se encontram dentro de um intervalo previsto para as cirúrgicas de risco intermediário, e > 5% após cirurgia de alto risco.. A tomada de decisões em cirurgia vascular tornou-se cada vez mais complexa com o passar dos anos, dada a variedade de opções de tratamento desde a terapia medicamentosa até a revascularização endovascular ou aberta para estenose carotídea, aneurisma da aorta abdominal (AAA) e doença oclusiva dos membros inferiores. Idealmente, o procedimento com a maior eficácia e o menor risco devem ser oferecidos ao paciente. . Por ...

Palavras chave: Risco cardíaco, cirurgia vascular, arterial, infarto perioperatório, stress dobutamina, ecocardiografia, cintilografia, fatores de risco, dobutamina.

Divulgação



Publicidade

conteúdos relacionados



© 2000 - 2019 Bibliomed, Inc. Todos os Direitos Reservados contato imprensa