Doença de Ménière


Equipe Editorial Bibliomed

Neste artigo:. - Introdução. - Sintomas. - Diagnóstico e diagnóstico diferencial. - Aspectos no tratamento. - Referências. Introdução. Em 1861, o renomado médico francês Prosper Ménière (1799-1862) iniciou a publicação de uma série de artigos abordando uma labirintopatia idiopática não-supurativa que se manifestava com hipoacusia (perda completa da audição em alguns casos), tinitus e vertigens. Onze anos depois, Simon Duplay sugeriu que a intrigante moléstia fosse denominada Doença de Ménière, em homenagem ao mestre.. A Doença de Ménière há muito vem desafiando médicos e pacientes. Hoje sabe-se que esta doença do ouvido interno é causada pelo acúmulo excessivo de líquido em uma parte do labirinto (saco endolinfático) responsável pela filtragem e excreção de fluidos do canal semicircular - mas exatamente o porquê que isto acontece, ainda é um mistério. Presume-se que este distúrbio possa estar relacionado com otite média, sífilis ou traumas cranianos. Outros fatores de risco incluiriam: viroses, infecções respiratórias, estresse, fadiga, alguns medicamentos (como a aspirina), atopias, tabagismo e etilismo.. Dois desenvolvimentos ...

Palavras chave: Doença Ménière, diagnóstico, vertigem, fadiga, tinitus, memória, cognitivos.

Divulgação



Publicidade

conteúdos relacionados

Artigo / Publicado em 10 de dezembro de 2002

Distúrbios do Labirinto

Artigo / Publicado em 7 de fevereiro de 2001

Labirintopatias: Parte II

Artigo / Publicado em 24 de setembro de 2007

Abordagem Diagnóstica do Tinitus

Artigo / Publicado em 7 de fevereiro de 2001

Labirintopatias: Parte I

Artigo / Publicado em 3 de agosto de 2018

Diagnóstico diferencial da tonteira

Artigo / Publicado em 24 de outubro de 2019

Otoesclerose

Artigo / Publicado em 9 de janeiro de 2017

Síndrome Pós-Concussão

Notícia / Publicada em 21 de março de 2017

Estudo EBBINGHAUS: inibidor de PCSK9 não tem efeito na neurocognição

Notícia / Publicada em 8 de julho de 2013

Distúrbios de memória ocorrem em adultos que se submeteram a radioterapia craniana enquanto crianças

Notícia / Publicada em 7 de abril de 2011

Demência de Alzheimer é precedida por 5 a 6 anos de declínio acelerado em várias funções cognitivas



Assinantes


Esqueceu a senha?