Encefalopatia Urêmica


Equipe Editorial Bibliomed

Neste artigo:. - Introdução. - Quadro clínico. - Diagnósticos diferenciais. - Exames complementares. - Tratamento. - Conclusão. - Referências. Introdução. A Encefalopatia Urêmica (EUr) se refere ao estágio final da insuficiência renal (IR) progressiva e da falência de múltiplos órgãos. Sua exata prevalência é difícil de ser calculada e varia de acordo com o número de pacientes portadores de IR terminal em uma determinada região. O distúrbio pode afetar pessoas de todas as faixas etárias, porém é mais comum em pacientes com mais de 65 anos de idade. Quando não tratada, a EUr evolui para inexoravelmente para coma e morte.. O distúrbio está associada a várias alterações presentes na insuficiência renal (IR) terminal, tais como acidose, hiponatremia, hipercalemia, hipocalcemia e desidratação ou hidratação excessiva.. A acumulação de toxinas urêmicas, como os compostos de guanidina (por exemplo, creatinina e guanidina) pode estimular o efeito neurotóxico dos receptores excitatórios de N-metil-D-aspartato, e a inibição concomitante dos receptores inibidores do ácido γ-aminobutírico ...

Palavras chave: Encefalopatia, urêmica, EUr, pacientes, renal, insuficiência renal, terminal, convulsões, também, cérebro, falência, progressiva, distúrbio, gânglios basais, cortical.

Divulgação



Publicidade

conteúdos relacionados



Assinantes


Esqueceu a senha?