Stents Coronarianos


Equipe Editorial Bibliomed

Neste Artigo:. - Introdução. - Tipos de Stents. - Implante do Stent. - Indicações. - Referências Bibliográficas. Introdução. A angioplastia transluminal percutânea (PTCA) foi associada a duas grandes limitações: estenose vascular aguda (durante o procedimento) ou subaguda (após o procedimento e nos primeiros 30 dias); e re-estenose tardia (quatro a seis meses após o procedimento). A disponibilização dos stents intracoronarianos e a evolução contínua na produção dos mesmos, técnica de implante e terapia antitrombótica resultaram em redução significativa dessas complicações. A taxa de estenose aguda foi reduzida de 2 a 10% para menos de 1%, na era do stent; já a taxa de estenose subaguda, passou de 5% para 0,5% a 1,0%. As taxas de re-estenose tardia caíram de 30% a 40% para 20% a 30%, com o uso dos stents convencionais, e para menos de 10% com o emprego de stents revestidos.. Devido a essas vantagens, o implante do stent é atualmente realizado em grande parte dos procedimentos coronarianos percutâneos. Em um estudo realizado com dados obtidos em 139 hospitais norte-americanos, entre 1998 e 2000, mostrou que os stents foram empregados em ...

Palavras chave: stents, versus, implante, exemplo, re-estenose, mais, lesões, coronarianos, estenose, procedimento, taxa, taxas, taxas re-estenose, procedimentos coronarianos percutâneos, coronarianos percutâneos, taxa estenose, 10%, empregados, stent, procedimentos coro

Divulgação



Publicidade

conteúdos relacionados



© 2000 - 2019 Bibliomed, Inc. Todos os Direitos Reservados contato imprensa