Infecção Urinária Nosocomial


Equipe Editorial Bibliomed

Neste Artigo:. . Fatores de Risco e Complicações . . Dr. Regazzoni Carlos Javier . . O uso de cateter ou sonda vesical é uma das intervenções mais freqüentes na prática hospitalar. Calcula-se que cerca de 25% dos pacientes adultos hospitalizados é introduzido um cateter na bexiga, em algum momento de sua internação, associando-se com cerca de 40% das infecções nosocomiais e 17% das hemoculturas positivas (1).. . Na hora de analisar a problemática associada ao uso de cateteres intravesicais, é importante definir a terminologia utilizada. Define-se como "bacteriúria" um crescimento igual ou superior a 102 unidades formadoras de colônias por mililitro, já que estes pacientes evoluirão para contagens maiores em poucos dias. Fala-se em "infecção urinária sintomática" se à bacteriúria estiverem associados sintomas locais (dor no hipogástrio ou flanco, ou ardor na uretra) ou sistêmicos (febre, resposta inflamatória sistêmica) de infecção. Deve-se entender que o paciente apresenta "bacteremia associada ao cateter" quando surge crescimento da mesma bactéria tanto na urocultura quanto na hemocultura (1,2), situação esta que pode ocorrer com ou sem sintomas.. . As bactérias podem aderir-se à superfície interna do cateter onde iniciam o crescimento de um "biofilme" composto por microorganismos e seus detritos, e proteínas e sais que se ...

Palavras chave: cateter, bacteriúria, pacientes, associada, vesical, risco, urinária, associada cateter, presença, infecção, bacteremia, cateter vesical, infecção urinária, sonda vesical, tempo, 2, cateterização, antibióticos, bactérias, sonda vesical presença,

Divulgação



Publicidade

conteúdos relacionados



© 2000 - 2018 Bibliomed, Inc. Todos os Direitos Reservados contato imprensa