Próteses Valvares nas Cardiopatias Adquiridas e Congênitas


Equipe Editorial Bibliomed

XVI Congresso Brasileiro de Cardiologia Pediátrica. Mesa Redonda 4 - "Cirurgias Corretivas das Cardiopatias. na Infância: A Avaliação dos Resultados Após 20 Anos". . Renato Samy Assad. . Durante as duas últimas décadas, houve grandes avanços no tratamento de valvopatias em crianças. Técnicas pioneiras de cateterismo intervencionista com cateter balão tratam estenose pulmonar em recém nascidos. Os homo-enxertos têm sido empregados na reconstrução da via de saída do VD. O auto-enxerto da valva pulmonar (cirurgia de Ross) tem sido aplicado para troca da valva aórtica em neonatos e crianças pequenas, com bons resultados a médio prazo. . . Entretanto, poucas inovações têm sido publicadas quanto ao tratamento da valva tricúspide, especialmente na doença de Ebstein. As técnicas de plástica da valva mitral têm sido cada vez mais efetivamente empregadas para insuficiência valvar, enquanto que a estenose mitral congênita permanece extremamente problemática em crianças pequenas.. . Em meados da década de 80, houve um aumento importante da demanda de homoenxertos para substituição valvar aórtica, devido aos seguintes fatores:. . - Excelente característica hemodinâmica;. - Baixo risco de trombo-embolismo, mesmo sem uso de anti-coagulantes;. - 22% de disfunção da prótese durante 10 anos de seguimento (Barratt-Boyes et al.);. - Ausência de deterioração ...

Palavras chave: 25, durante, troca, mitral, 5, crianças, =, valvar, valva, anos, prótese, defeito septo, correção defeito septo, correção defeito, troca valvar, calcificação, septo, à, houve, durante período,

Divulgação



Publicidade

conteúdos relacionados



© 2000 - 2019 Bibliomed, Inc. Todos os Direitos Reservados contato imprensa