Genética e Câncer Colorretal


Equipe Editorial Bibliomed

Neste artigo:. - Introdução. - Incidência. - Etiopatogenia. - Genética. - Polipose Adenomatosa Familiar (FAP). - Síndrome de LYNCH. - Câncer Colorretal Familiar (CCF). - Referências. Introdução. A compreensão da genética do câncer colorretal (CCR) mudou drasticamente nos últimos anos. O câncer colorretal pode ser classificado de várias maneiras diferentes. Juntamente com o advento do sequenciamento total do exoma, adquiriu-se uma compreensão da escala das mudanças genéticas encontradas no câncer colorretal esporádico. . Sabe-se agora que existem vários caminhos que estão comumente envolvidos na evolução do câncer colorretal, incluindo Wnt/β-catenina, RAS, EGFR e PIK3 quinase. Outro salto recente na compreensão da genética do câncer colorretal é o reconhecimento de que muitos, se não todos os tumores, são na verdade geneticamente heterogêneos dentro de tumores individuais e também entre tumores. Pesquisas recentes revelaram as implicações prognósticas e possivelmente terapêuticas de várias mutações específicas, incluindo mutações específicas no BRAF e no ...

Palavras chave: Câncer colorretal, FAP, proctocolectomia, pólipos, polipose, ileostomia, genética, neoplasia.

Divulgação



Publicidade

conteúdos relacionados



Assinantes


Esqueceu a senha?