opioides

buscar central de toxicologia

resultado

informação buscada: opióides
total de (16) resultados
  • Central de Toxicologia - Opióides

    Tabela com fármacos. Beta-funaltrexamina Bremazocina Buprenorfina Butorfanol Codeína CTOP DAMGO Diprenorfina DPDPE DSLET Espiradolina Etil-cetociclazocina Etorfina

    Central de Toxicologia / Publicado em 13 de julho de 2010
  • Central de Toxicologia - 16 - Antídotos e outros agentes usados no tratamento das intoxicações

    Quadro 2 Antídoto Condição patológica Outra possível aplicação N-acetil-cisteína Paracetamol (paracetamol) Solventes organoclorados, amanitina Nitrito de amila Cianeto Sulfeto de

    Central de Toxicologia / Publicado em 13 de julho de 2010
  • Central de Toxicologia - 17 - Avaliação psicossocial, intoxicação em pacientes grávidas e crianças - Considerações Especiais

    A – Avaliação psiquiátrica para reconhecer o risco de novas tentativas de auto extermínio. 1 – Não é apropriado dar alta ou transferir um paciente potencialmente suicida. De preferência eles devem ser levados para hospitais psiquiátricos onde podem ser observados de perto (por no mínimo 72 horas) e tratados corretamente. 2 – Pacientes que telefonam de casa após ingestão intencional devem sempre ser referidos a um centro de emergência para avaliação médica e psiquiátrica. B

    Central de Toxicologia / Publicado em 13 de julho de 2010
  • Central de Toxicologia - 05 - Alteração do Estado Mental - Coma e torpor

    A – Considerações Iniciais. Uma queda no grau de consciência é uma complicação grave e a mais comum em intoxicações e envenenamentos. No quadro 1 apresentamos uma escala para avaliação do estado de consciência. Exemplos de drogas e toxinas que podem causar coma estão listados na tabela 10. 1 – O coma é resultante da depressão global do sistema de ativação reticular do cérebro, podendo ser causado por agentes anticolinérgicos, drogas simpaticolíticas, depressores centrais

    Central de Toxicologia / Publicado em 13 de julho de 2010
  • Central de Toxicologia - Clonidina

    Sinonímia Atensina® , Clonidin® , Cloridrato de clonidina® . Apresentação comprimido de 0.1, 0.2, 0.3mg e transdérmica com liberação de 0.1, 0.2, 0.3mg/ dia. Generalidades A clonidina é uma imidazolina que foi desenvolvida para ser usada como descongestionante nasal na década de 60. Logo após foi observada sua atividade anti-hipertensiva. Atualmente além de ser usada como anti-hipertensivo é utilizado no manuseio de síndrome de abstinência de opióides, alcool e nicotina. Farmacologia A

    Central de Toxicologia / Publicado em 13 de julho de 2010
  • Central de Toxicologia - Intoxicação por anticonvulsivantes

    1. Fenitoína Fenidantal (Teutobras.) , Hidantal(HMR) Fenitoína (Cristália, Cazi) , Dialudon (Novaquím-sigma), Epelin (Parke-davis). 2. Carbamazepina Tegretol (Novartis), Tegretard (Cristália), Carmazin (Teutobras), Carbamazepina (União Quím, Sanval, Eurofarma, Cazi, Basf Generix). 3. Ácido Valpróico Depakene (Abbot), Epilenil (Biolab Sanus), Valpakine (Sanofi).

    Central de Toxicologia / Publicado em 13 de julho de 2010
  • Central de Toxicologia - 12 - Outras Complicações - Reação anafilática e anafilactóide

    A – Considerações Iniciais. Exemplos de drogas que causam reações anafiláticas e anafilactóides podem ser encontrados na tabela 17. Essas reações são caracterizadas por broncospasmo e permeabilidade aumentada que pode levar a um edema de laringe, rash cutâneo e hipotensão. 1 – Anafilaxia ocorre quando um paciente possui na superfície dos seus mastócitos e basófilos uma imunoglobolina E (IgE) de ligação e é exposto ao antígeno que a ativa, fazendo com que a histamina e vários outros

    Central de Toxicologia / Publicado em 13 de julho de 2010
  • Central de Toxicologia - Referências Bibliográficas - 2ªParte

    - Reddy, C. S., Hayes, A. W. Food-borne toxicants. In: Hayes, A. W. Principles and methods of toxicology. 3. ed. New York: Raven, 9:317-60, 1994. - Rees, S. M.; Hoffman, R. S. Marijuana. In: Viccellio, P. Emergency Toxicology. Philadelphia: Lippincott-Raven Publishers, 893-8, 1998. - Reese, R. E., Betts, R. F. (Aut.), Silva, P. (Trad.) Manual de antibióticos. Cefalosporinas. 2. ed. Rio de Janeiro: Medsi, 6:106-82, 1995. - Reese, R. E., Betts, R. F. (Aut.), Silva, P. (Trad.) Manual

    Central de Toxicologia / Publicado em 13 de julho de 2010
  • Central de Toxicologia - Antipsicóticos

    Tabela com Fámacos (Classificação e principais representantes dos antipsicóticos) Classe Composto Nome(s) Comercial(ais) 1. Fenotiazinas alifáticas piperidínicas piperazínicas Clorpromazina Levomepromazina Tioridazina Periciazina Pipotiazina Trifluoperazina Flufenazina

    Central de Toxicologia / Publicado em 13 de julho de 2010
  • Central de Toxicologia - Cocaína

    Generalidades - A cocaína, ou benzoilmetilecgonina, é um alcalóide extraído das folhas da planta Erythroxylon coca, procedente da América do Sul. Suas propriedades estimulantes têm sido utilizadas desde cerca de 600 anos antes de Cristo, quando as populações locais tinham o hábito de mascar a planta para aliviar a fadiga e a fome. No século XIX a substância foi introduzida na Europa e foram descobertas suas propriedades anestésicas; entretanto, iniciou-se também o seu uso como droga de abuso,

    Central de Toxicologia / Publicado em 13 de julho de 2010
< anterior de 2 próxima >
© 2000 - 2018 Bibliomed, Inc. Todos os Direitos Reservados contato imprensa