carbamazepina

buscar central de toxicologia
resultado
informação buscada: carbamazepina
total de (12) resultados
  • Central de Toxicologia - Intoxicação por anticonvulsivantes

    1. Fenitoína Fenidantal (Teutobras.) , Hidantal(HMR) Fenitoína (Cristália, Cazi) , Dialudon (Novaquím-sigma), Epelin (Parke-davis). 2. Carbamazepina Tegretol (Novartis), Tegretard (Cristália), Carmazin (Teutobras), Carbamazepina (União Quím, Sanval, Eurofarma, Cazi, Basf Generix). 3. Ácido Valpróico Depakene (Abbot), Epilenil (Biolab Sanus), Valpakine (Sanofi).

    Central de Toxicologia / Publicado em 13 de julho de 2010
  • Central de Toxicologia - 13 - Diagnóstico da intoxicação

    O diagnóstico e o tratamento das intoxicações devem ser realizados o mais rapidamente possível e muitas vezes sem os resultados dos exames de triagem toxicológica. Felizmente, na maioria das vezes, o diagnóstico correto pode ser feito usando-se de informações colhidas cuidadosamente sobre a história clínica, um exame físico dirigido e os teste laboratoriais de rotina. I – História Mesmo que não esteja disponível ou que pareça incompleta, a história de ingestão deve ser cuidadosamente

    Central de Toxicologia / Publicado em 13 de julho de 2010
  • Central de Toxicologia - 14 - Descontaminação

    Diante de um caso de intoxicação ou de envenenamento, após a realização das medidas de manutenção de vida (se forem necessárias), devem ser estabelecidas as medidas necessárias para se diminuir a absorção das drogas, descontaminação e diminuição da absorção. A descontaminação consiste em evitar que mais drogas entrem em contato ou sejam absorvidas pelo paciente. I – Descontaminação de superfície A – Pele Agentes corrosivos lesam a pele e devem ser removidos da pele o mais rapidamente possível.

    Central de Toxicologia / Publicado em 13 de julho de 2010
  • Central de Toxicologia - Eritromicina

    Nomes comerciais e apresentações mais comuns Estearato de eritromicina- Eribiótic®, Ilobron®, Pantomicina®, Plenomicina® Estolato de eritromicina- Eritrex®, Eritrin®, Eritrofar®, Ilocin®, Ortociclina®, Lisotrex®, Ilosone® Estolato associado- Eriflogin®, Eritrosima®. Tópica- Ereacnen®, Ilosone tópico®, Stiemucin®, Pantomicina tópica®. Tópica associada- Eritrex A®, Benzagel®, Eritromicina®. Apresentação: comprimido de 250, 500mg, suspensão de 125,250 e 500mg/5ml, pomada para uso tópico.

    Central de Toxicologia / Publicado em 13 de julho de 2010
  • Central de Toxicologia - Omeprazol

    Sinonímia Gaspiren®, Gastrium®, Klispel®, Lozap®, Omep®, Omeprazec®, Omeprazol®, Omeprazin®. Apresentado em cápsulas de 10, 20 e 40mg. Generalidades Pertence à categoria dos anti-ulcerosos, também chamado de inibidor da bomba de prótons. Inibe a secreção ácida em qualquer nível desejado. Em pH neutro é estável, sem atividade inibitória. Famacologia Toxicidade: Intoxicações entre 320 a 400mg em humanos levaram a efeitos clínicos transitórios. Dose letal média oral em ratos

    Central de Toxicologia / Publicado em 13 de julho de 2010
  • Central de Toxicologia - 10 - Outras complicações - Distonia, discinesia e rigidez

    A – Considerações Iniciais. Exemplos de drogas que causam movimentos anormais ou rigidez estão listados na Tabela 15. 1 – Reações distônicas são comuns com antipsicóticos, na dose tóxica ou até na dose terapêutica, e também de alguns antieméticos. O mecanismo de disparo dessas reações parece estar relacionado com o bloqueio central da dopamina. Distonias consistem em movimentos dolorosos, forçados e involuntários do pescoço, protrusão de língua e extensão da mandíbula. Outras desordens

    Central de Toxicologia / Publicado em 13 de julho de 2010
  • Central de Toxicologia - 08 - Alteração do Estado Mental - Convulsões

    A – Considerações Iniciais. As convulsões são causa frequente de morbidade e mortalidade devido a drogas e envenenamentos. As crises podem ser únicas e rápidas ou múltiplas e prolongadas podendo ser desencadeadas por vários mecanismos (tabela 13). 1 – Convulsões generalizados geralmente resultam em perda da consciência, geralmente acompanhada de mordedura da língua e incontinência fecal e urinária. 2 – Outras causas de hiperatividade muscular ou rigidez podem ser confundidas

    Central de Toxicologia / Publicado em 13 de julho de 2010
  • Central de Toxicologia - Anticoagulantes

    Cumarínicos ou derivados Coumachlor, cumacloro (TomorinÒ ), Tomorin, acetonilclorobenzil hidroxicumarina ; Cumafeno, Warfarin, 3-(alfa-acetonilbenzil)-4-hidroxicumarina (RacuminÒ ); Coumafuryl, Cumafuril, furilacetiletil hidroxicumarina, Fumarin; Coumatetralyl, cumatretalil, Racumin, alfa tetraetil oxicumarina; Brodifacoum (KleratÒ , Ratak 10Ò ), brodifacum. Generalidades O bishydroxycoumarin (dicumarol) descoberto, em 1939 a partir de

    Central de Toxicologia / Publicado em 13 de julho de 2010
  • Central de Toxicologia - Metilxantinas

    Agentes e compostos. Composto Nome comercial Aminofilina Aminofilinaâ , Asmodrinâ , Eufilinâ *Associações: Alergo filinalâ , Dispneitratâ , Teodrinâ Cafeína Guaraná da Amazôniaâ *Associações: Adegripâ , Algiflex

    Central de Toxicologia / Publicado em 13 de julho de 2010
  • Central de Toxicologia - 05 - Alteração do Estado Mental - Coma e torpor

    A – Considerações Iniciais. Uma queda no grau de consciência é uma complicação grave e a mais comum em intoxicações e envenenamentos. No quadro 1 apresentamos uma escala para avaliação do estado de consciência. Exemplos de drogas e toxinas que podem causar coma estão listados na tabela 10. 1 – O coma é resultante da depressão global do sistema de ativação reticular do cérebro, podendo ser causado por agentes anticolinérgicos, drogas simpaticolíticas, depressores centrais

    Central de Toxicologia / Publicado em 13 de julho de 2010
< Anterior de 2 Próxima >

Assinantes


Esqueceu a senha?