SALBUTAMOL (SULFATO) -(AEROLIN)

Equipe Editorial Bibliomed

Fórmula:
Solução oral - 0,4mg/ml Xarope - 0,4mg/ml

Indicações:
Asma brônquica, bronquite crônica e enfisema pulmonar.

Posologia:
Adultos e crianças maiores de 12 anos de idade: 4mg VO, 3 a 4 vezes ao dia. Se a broncodilatação não for adequada, a dose pode ser aumentada gradualmente, conforme tolerado pelo paciente, não excedendo o máximo de 8mg VO, 3 a 4 vezes ao dia (dose diária máxima de 32mg). Criança de 6 a 12 anos de idade: dose inicial 2mg VO, 3 a 4 vezes ao dia. Pode ser gradualmente aumentada, conforme tolerância do paciente, não excedendo 6mg VO, 4 vezes ao dia (dose diária máxima de 24mg). Criança de 2 a 6 anos de idade: dose inicial de 0,1mg/kg VO, 3 vezes ao dia. A dose inicial não deve exceder 2mg VO, 3 vezes ao dia. Pacientes idosos ou que apresentam sensibilidade aos agonistas beta-adrenérgicos, a dose inicial deve ser restringida a 2mg VO, 3 ou 4 vezes ao dia.

Contra indicação:
Pacientes com hipersensibilidade aos componentes da fórmula. Pacientes com arritmia cardíaca associada com taquicardia, taquicardia causada por intoxicação digitálica, ou que apresentem resposta incomum às aminas simpaticomiméticas.

Efeitos adversos:
Mais freqüentes em crianças. Tremor, nervosismo, instabilidade, excitação, hiperatividade, insônia, irritabilidade, cefaléia, tontura, dilatação da pupila. Fraqueza e cãibras. Sudorese. Vasodilatação periférica, arritmias cardíacas, taquicardia, palpitações, dor no peito. Tosse. Náusea, vômito e alterações do paladar. Reações de hipersensibilidade, incluindo urticária, angioedema, erupções, broncoespasmo paradoxal, edema orofaríngeo.

Interações:
Os bloqueadores beta-adrenérgicos antagonizam os efeitos dos beta-agonistas (salbutamol) e podem produzir severo broncoespasmo. Potencializa as alterações eletrocardiográficas e/ou hipocalemia, resultantes da administração de diuréticos de alça ou tiazídicos. Diminuição na concentração sérica de digoxina e aumento da toxicidade com inibidores da monoaminoxidase ou antidepressivos tricíclicos.

Precauções:
Usar com cautela em pacientes com insuficiência ou arritmia cardíaca, suscetíveis ao prolongamento do intervalo-QT, hipertensão, com desordens convulsivas, hipertireoidismo, diabetes mellitus e em pacientes que apresentem resposta incomum às aminas simpaticomiméticas. O uso do salbutamol no controle do parto prematuro ainda é questionado. Reações adversas severas, incluindo edema pulmonar materno, têm sido reportadas durante ou após o uso de agonistas beta2, incluindo o salbutamol, no controle do parto prematuro. Idosos são mais suscetíveis aos efeitos adversos, portanto o tratamento deve ser iniciado com posologia reduzida.

Tipo:
Antiasmáticos e Broncodilatadores


conteúdos relacionados

Artigo / Publicado em 31 de agosto de 2012

Tocolíticos no manejo do trabalho de parto prematuro

Artigo / Publicado em 26 de maio de 2006

Controvérsias do tratamento da bronquiolite em pediatria

Artigo / Publicado em 28 de junho de 2000

Asma: Um Grave Problema de Saúde Pública em Pediatria

Artigo / Publicado em 26 de dezembro de 2000

Brometo de Ipratrópio no Ataque de Asma Aguda

Artigo / Publicado em 26 de agosto de 2009

Proctalgia Fugaz

Artigo / Publicado em 18 de maio de 2018

Reabilitação Respiratória

Notícia / Publicada em 23 de maio de 2018

Eficácia da oxigenoterapia por cânula de alto fluxo em pacientes asmáticos em unidades de terapia intensiva

Notícia / Publicada em 24 de abril de 2001

EMS Indústria Farmacêutica acredita no mercado de genéricos

Notícia / Publicada em 8 de fevereiro de 2001

TRH Combinada Tem Efeitos Maiores Sobre o Colesterol do Que o Estrógeno Isolado

Notícia / Publicada em 9 de outubro de 2000

O Polimorfismo de Adrenorreceptores Está Ligado à Resposta dos Beta-Agonistas à Asma

© 2000 - 2019 Bibliomed, Inc. Todos os Direitos Reservados contato imprensa