DEXCLORFENIRAMINA (MALEATO) -(POLARAMINE)

Equipe Editorial Bibliomed

Fórmula:
Solução oral 0,4mg/ml

Indicações:
Alívio sintomático de algumas manifestações alérgicas, como: dermatites atópicas ou de contato, eczemas alérgicos, asma brônquica, rinites vasomotoras, urticária, angioedema, reações a drogas, soros, sangue, picadas de insetos e pruridos de origem não específica.

Posologia:
Crianças de 2 a 6 anos: 1,25ml a 2,5ml VO, 3 vezes ao dia. Ajustar dose de acordo com a resposta do paciente. Máximo 3mg/dia. Crianças de 6 a 12 anos: 2,5ml VO, 3 vezes ao dia. Máximo 6mg/dia. Adultos e crianças maiores de 12 anos: 5ml VO, 3 a 4 vezes ao dia. Não ultrapassar a dose máxima de 12mg/dia. Para alguns pacientes, a dose máxima diária de 6mg é suficiente.

Contra indicação:
Hipersensibilidade a qualquer dos componentes da fórmula ou a fármacos de estrutura química similar. Pacientes que estejam recebendo terapia com inibidores da MAO. Prematuros ou recém-nascidos.

Efeitos adversos:
Podem ocorrer sonolência discreta ou moderada, vertigens, hipotensão, náusea, vômito, azia, diarréia, constipação, poliúria, dificuldade de micção, boca seca, ataxia, sedação, agitação, tontura, zumbidos, fadiga, euforia, nervosismo, insônia, sudorese, tremores, perda de apetite, diplopia, cefaléia, leucopenia, agranulocitose, urticária e choque anafilático.

Interações:
Os inibidores da MAO prolongam e intensificam os efeitos dos anti-histamínicos, podendo ocorrer hipotensão severa. Álcool, antidepressivos tricíclicos, barbitúricos e outros depressores centrais podem potencializar os efeitos sedativos da dexclorfeniramina. Os efeitos anticolinérgicos se agravam com uso simultâneo de neurolépticos, antidepressivos, antiparkinsonianos e inibidores da MAO. A ação de anticoagulantes orais pode ser reduzida pelos anti-histamínicos.

Precauções:
Deve ser usado com cautela em pacientes com aumento da pressão intra-ocular, úlcera péptica estenosante, obstrução piloro-duodenal, hipertrofia prostática e obstrução do colo vesical, doenças cardiovasculares, entre as quais hipertensão, nos pacientes com asma brônquica, hipertireoidismo e diabetes mellitus. Recomenda-se evitar atividades que exijam estado de alerta como dirigir, operar máquinas, etc. Os anti-histamínicos têm efeito aditivo com o álcool e outros depressores do SNC como sedativos, hipnóticos e tranqüilizantes. Pode causar excitação em crianças de baixa idade e maior sedação e hipotensão em pacientes com mais de 60 anos. Uso na gravidez: a experiência com essa substância em pacientes grávidas não é suficiente para provar sua segurança com relação ao desenvolvimento fetal. Não foi estabelecido se a formulação é excretada em leite materno.

Tipo:
Antialérgicos e Anti-histamínicos


conteúdos relacionados

Artigo / Publicado em 17 de junho de 2010

Dexclorfeniramina

Artigo / Publicado em 31 de outubro de 2008

Tratamento da Rinite Alérgica

Artigo / Publicado em 23 de julho de 2007

Maleato de Enalapril

Artigo / Publicado em 15 de maio de 2015

Manejo da Mucosite em pacientes com Câncer

Artigo / Publicado em 18 de agosto de 2017

Glaucoma congênito primário

Artigo / Publicado em 2 de setembro de 2013

Maleato de Levomepromazina

Artigo / Publicado em 20 de julho de 2000

Rosiglitazona: Um Novo Medicamento para o Diabetes

Notícia / Publicada em 25 de abril de 2001

Cristália entra no segmento de genéricos com o lançamento de 12 medicamentos

Notícia / Publicada em 11 de dezembro de 2000

Brasil: Serra Diz que Médicos Devem Prescrever Mais Genéricos

Notícia / Publicada em 9 de agosto de 2000

Diferença Entre Preços de Medicamentos Ainda é Grande

© 2000 - 2019 Bibliomed, Inc. Todos os Direitos Reservados contato imprensa