Americanos usam satélite contra a obesidade

05 de setembro de 2003
Equipe Editorial Bibliomed

05 de Setembro de 2003. O monitoramento por satélite pode ajudar pesquisadores a enfrentar a epidemia da obesidade que domina os EUA. Trata-se de uma pesquisa de monitoramento de regiões do país, identificando os lugares onde o problema é mais grave. Pesquisadores do National Center for Smart Growth analisaram 200 mil pessoas em 448 cidades americanas e 83 áreas metropolitanas. Através de fotografias tiradas por satélites, os especialistas pretendem mapear em quais partes do país existem mais obesos e, a partir daí, criar programas específicos para cada região....

Palavras chave: satélite, pesquisadores, cidades, obesidade, estudo, país, mais, região estudo, criar programas específicos, programas específicos região, daí criar, região, região estudo já, já, de

Divulgação



Publicidade

conteúdos relacionados

Clipping / Publicado em 14 de outubro de 2005

O que é uma casa de parto?

Clipping / Publicado em 14 de outubro de 2005

Pirâmide infantil

Clipping / Publicado em 26 de julho de 2005

Atorvastatina não diminui risco vascular entre pacientes diabéticos submetidos à hemodiálise

Clipping / Publicado em 15 de janeiro de 2004

Conselho fixa normas para a lipoaspiração

Clipping / Publicado em 6 de janeiro de 2004

Terapias holísticas, como reiki, shiatsu e anti-ginástica, curam tensão

Clipping / Publicado em 28 de agosto de 2003

OMC: avança acordo para importação de genéricos por países pobres

Clipping / Publicado em 26 de agosto de 2003

Cientista espanhol identifica gene do vírus da Aids que bloqueia defesas do paciente

Clipping / Publicado em 12 de maio de 2003

Governo discute a liberação de anúncios de cigarros

Clipping / Publicado em 30 de abril de 2003

Novo estimulante sexual consegue eficácia em 92% dos casos e promete superar Viagra

Clipping / Publicado em 23 de janeiro de 2003

Japão anuncia sétimo caso de mal da vaca louca



© 2000 - 2019 Bibliomed, Inc. Todos os Direitos Reservados contato imprensa