A cura no veneno

19 de junho de 2006
Equipe Editorial Bibliomed

19 de junho de 2006. Uma proteína encontrada no veneno da serpente urutu (Bothrops alternatus) demonstrou em testes potencial para atuar como cicatrizante e regenerador de tecidos lesados, como nos casos de infarto do miocárdio. Dependendo da concentração empregada, a alternagina-C ou ALT-C, nome dado à toxina isolada do veneno, tanto pode promover como inibir a formação de novos vasos sangüíneos. "São dois efeitos opostos", diz a professora Heloísa Sobreiro Selistre de Araújo, do Departamento de Ciências Fisiológicas da Universidade Federal...

Palavras chave: veneno, dois, "são, novos, sobreiro selistre, heloísa sobreiro, sobreiro selistre araújo, selistre araújo, professora heloísa, vasos, opostos", departamento, selistre,

 

Divulgação



Publicidade

conteúdos relacionados

Clipping / Publicado em 1 de março de 2006
Analistas apontam diabetes como ameaça à população européia
Clipping / Publicado em 4 de julho de 2005
Uso de droga acirra disseminação de HIV no Brasil, diz ONU
Clipping / Publicado em 6 de maio de 2005
Tratamento econômico
Clipping / Publicado em 11 de abril de 2005
Operação 'peixe cru' no Rio
Clipping / Publicado em 29 de agosto de 2003
Vida em grandes centros urbanos deixa americanos mais obesos, diz estudo
Clipping / Publicado em 25 de julho de 2003
Células-tronco dão nova esperança contra infertilidade
Clipping / Publicado em 16 de julho de 2003
Estudo de 48 semanas confirma eficácia de 'bloqueador' do HIV
Clipping / Publicado em 14 de julho de 2003
A revolução da mamona
Clipping / Publicado em 10 de abril de 2003
Roche pode fazer teste para pneumonia asiática em 6 semanas
Clipping / Publicado em 18 de março de 2003
Mundo entra em alerta contra pneumonia que já matou nove


Assinantes


Esqueceu a senha?