Publicidade

Publicidade

Publicidade

BROMUC

Laboratório

Ariston Ind. Químicas e Farmacêuticas Ltda.

Principio ativo

ACETILCISTEÍNA

Classe

Tosse e expectoração

Composição

Cada ml de xarope contém: N-acetilcisteína 20 mg; Excipiente q.s.p. 1 ml. Cada ampola contém: N-acetilcisteína 300 mg; Água para injeção, estéril e apirogênica q.s.p. 3 ml.

Apresentação

Xarope: Embalagem com frasco contendo 100 ml. Solução injetável: Embalagem com 5 ou 100 ampolas de 3 ml.

Indicações

Tratamento preventivo e curativo de complicações resultantes do resfriado comum e da gripe, tais como rinofaringites, sinusites, otites catarrais, etc. Traqueítes, traqueobronquites, bronquites agudas, broncopneumonias, pneumonias e outros processos infecciosos do aparelho respiratório; bronquites crônicas asmáticas ou tabágicas; prevenção de exacerbação destes quadros. Prevenção e tratamento do enfisema.

Contra indicações

Contra-indicado a pacientes com reconhecida hipersensibilidade aos componentes da fórmula. A N-acetilcisteína não deve ser usada por via aerossólica em pacientes com crise de asma.

Posologia

Xarope: Cada ml de xarope contém 20 mg de N-acetilcisteína. Crianças: A posologia média é de 10-15 mg/kg de peso corpóreo ao dia, a critério médico. Considerar a tabela de idade: Até 3 meses -> dose de 1 ml -> 3 vezes/dia // de 3 a 6 meses-> dose de 2,5 ml -> 2 vezes/dia // de 6 a 12 meses -> dose de 2,5 ml -> 3 vezes/dia // de 1 a 4 anos -> dose de 5 ml -> 2 a 3 vezes/dia // acima de 4 anos-> dose de 5 ml -> 3 vezes/dia. Adultos: 10 ml de xarope a cada 8 horas. Solução injetável: Via aerossólica: Uso adulto: 1 ampola a 10% em cada sessão, 1 a 2 sessões por dia, durante 5 a 10 dias. Uso pediátrico: 1/2 ampola, diluída em igual volume de soro fisiológico. Via instilativa: 1 ampola 1 a 2 vezes ao dia. Via parenteral: Uso adulto: 1 ampola de 10%, 1 a 2 vezes ao dia por via intramuscular profunda. Uso pediátrico: 1/2 ampola a 10%. Intoxicação por paracetamol: 150 mg/kg em 200 ml de dextrose 5% a serem perfundidos por via endovenosa em 15 minutos; a seguir, perfusões de 50 mg/kg em 500 ml de dextrose 5% em 4,8 e 8 horas, respectivamente.

Reações adversas

Ainda não são conhecidas a intensidade e a freqüência das reações adversas, mesmo com doses elevadas de N-acetilcisteína.

Interações medicamentosas

A tolerabilidade de N-acetilcisteína injetável é muito elevada. Raramente, como em qualquer aplicação aerossólica e independentemente do fármaco usado, pode ocorrer broncoconstrição em pacientes predispostos, podendo ser prevenida facilmente com administração prévia ou simultânea de um broncodilatador. Não ocorre broncoconstrição com a administração por via instilativa ou parenteral. A N-acetilcisteína apresenta, abrindo a ampola, um odor sulfúreo característico do princípio ativo nele contido. A tolerabilidade de N-acetilcisteína é muito elevada. Com o uso sistêmico são totalmente ausentes fenômenos de tipo broncoespástico. Na administração por via aerossólica, como pode ocorrer em qualquer aplicação aerossólica e independentemente do fármaco usado, em pacientes predispostos e/ou asmáticos, é aconselhável associar um broncodilatador, de modo a prevenir eventuais reações broncoespásticas. Aconselha-se abrir a ampola de N-acetilcisteína no momento do uso. As ampolas abertas são utilizáveis somente se conservadas em refrigerador e no máximo por 24 horas. Para a administração aerossólica do preparado é preferível usar aparelho de vidro ou plástico. Em caso de emprego de aparelho com partes metálicas ou de borracha, é necessário lavá-los perfeitamente com água após o uso.
© 2000 - 2019 Bibliomed, Inc. Todos os Direitos Reservados contato imprensa