Publicidade

Publicidade

Publicidade

AREDIA

Laboratório

Novartis Biociências S.A

Principio ativo

PAMIDRONATO

Classe

Neoplasias (quimioterapia)

Composição

Cada frasco-ampola contém 15, 30, 60 ou 90 mg de pamidronato dissódico liofilizado. Excipientes: Manitol, ácido fosfórico. Ampolas de diluente: Somente água para injeção. Cada ampola de diluente contém 5 ou 10 ml de água estéril para injeção.

Apresentação

Injetável para infusão intravenosa: Frasco-ampola (liofilizado): 15 mg: Embalagem com 4 frascos-ampolas; 30 mg: Embalagem com 2 frascos-ampolas; 60 mg: Embalagens com 1 frasco-ampola; 90 mg: Embalagens com 1 frasco-ampola. Ampolas de diluente acompanham os frascos-ampolas. O liofilizado de 15 mg deve ser reconstituído com 5 ml de água para injeção e o de 30, 60 e 90 mg com 10 ml de água para injeção. As soluções reconstituídas são para infusão intravenosa após diluição.

Indicações

Tratamento de condições associadas ao aumento da atividade osteoclástica: Metástases ósseas predominantemente líticas e mieloma múltiplo; hipercalcemia induzida por tumor; doença óssea de Paget.

Contra indicações

Hipersensibilidade conhecida a AREDIA® ou a outros bisfosfonatos.

Posologia

Instruções para uso e manuseio: O liofilizado nos frascos deve ser primeiramente dissolvido com água estéril para injeção, ou seja, 15 mg devem ser completamente dissolvidos com 5 ml de água, e as dosagens de 30, 60 e 90 mg com 10 ml de água. A água estéril para injeção é fornecida juntamente com os frascos de liofilizado. O pH da solução reconstituída é de 6,0 a 7,4. É importante que o pó (liofilizado) seja completamente dissolvido antes que a solução reconstituída seja retirada para diluição. AREDIA® reconstituído com água para injeção é estável por até 24 horas, se mantido à temperatura de 8°C. A solução de infusão preparada a partir da diluição do liofilizado com um dos diluentes recomendados deve ser utilizada em 24 horas, contadas a partir do início da diluição do produto, quando armazenado à temperatura ambiente. Descartar a porção não utilizada do produto. A solução reconstituída deve ser diluída em solução de infusão livre de cálcio (por exemplo cloreto de sódio a 0,9% ou glicose a 5%) antes da administração. AREDIA® nunca deve ser administrado em bolus (ver Advertências); após o preparo, deve ser infundido vagarosamente. A taxa de infusão não deve exceder a 60 mg/h (1 mg/min) e a concentração de AREDIA® na solução de infusão não deve exceder a 90 mg/250 ml. Uma dose de 90 mg deve normalmente ser administrada em infusão de 2 horas, em 250 ml de solução de infusão. Entretanto, em pacientes com mieloma múltiplo e em pacientes com hipercalcemia induzida por tumor, recomenda-se não exceder 90 mg em 500 ml por 4 horas. De modo a minimizar reações no local da infusão, a cânula deve ser inserida cuidadosamente em uma veia relativamente grande. Adultos e idosos: Metástases ósseas predominantemente líticas e mieloma múltiplo: A dose recomendada de AREDIA® para o tratamento de metástases ósseas predominantemente líticas e mieloma múltiplo é de 90 mg, administrados em infusão única a cada 4 semanas. Em pacientes com metástases ósseas que recebem quimioterapia a intervalos de 3 semanas, AREDIA® 90 mg também pode ser administrado a cada 3 semanas. Hipercalcemia induzida por tumor: Recomenda-se que os pacientes sejam reidratados com solução salina normal, antes ou durante o tratamento. A dose total de AREDIA® a ser utilizada para um período de tratamento depende dos níveis iniciais de cálcio sérico do paciente. As diretrizes a seguir são derivadas de dados clínicos de valores de cálcio não corrigidos. Entretanto, doses dentro das variações fornecidas também são aplicáveis para valores de cálcio corrigidos por proteína sérica ou albumina em pacientes reidratados. Cálcio sérico inicial até 3,0 (mmol/litro) -> até 12,0 (mg%) -> dose total recomendada = 15-30 (mg). Cálcio sérico inicial de 3,0-3,5 (mmol/litro) -> de 12,0-14,0 (mg%) -> dose total recomendada = 30-60 (mg). Cálcio sérico inicial de 3,5-4,0 (mmol/litro) -> de 14,0-16,0 (mg%) -> dose total recomendada = 60-90 (mg). Cáilco sérico inicial > 4,0 (mmol/litro) -> dose total recomendada = 90 (mg). A dose total de AREDIA® pode ser administrada tanto em infusão única como em infusões múltiplas, durante 2 a 4 dias consecutivos. A dose máxima para cada tratamento é de 90 mg, tanto para o tratamento inicial como para os tratamentos subseqüentes. Uma diminuição significativa no cálcio sérico é geralmente observada em 24 a 48 horas após a administração de AREDIA®, e a normalização é geralmente atingida dentro de 3 a 7 dias. Se a normocalcemia não for atingida dentro desse período, uma dose adicional pode ser administrada. A duração da resposta pode variar de paciente para paciente, e o tratamento pode ser repetido sempre que houver recorrência da hipercalcemia. A experiência clínica até o momento sugere que AREDIA® pode se tornar menos eficaz, à medida que o número de tratamentos aumenta. Doença óssea de Paget: A dose de AREDIA® total recomendada para um período de tratamento é de 180 a 210 mg. Isto pode ser obtido administrando-se 6 doses unitárias de 30 mg uma vez por semana (dose total 180 mg), ou administrando-se 3 doses unitárias de 60 mg a cada duas semanas. Se a dose unitária utilizada for de 60 mg, recomenda-se iniciar o tratamento com uma dose inicial de 30 mg (dose total 210 mg). O esquema, omitindo-se a dose inicial, pode ser repetido após 6 meses, até a remissão, e quando houver recidiva da doença. Insuficiência renal: Os estudos farmacocinéticos indicam não ser necessário o ajuste de dose em pacientes com qualquer grau de insuficiência renal. Entretanto, até que se adquira maior experiência, recomenda-se a velocidade máxima de infusão de 20 mg/h em pacientes com insuficiência renal. Insuficiência hepática: Um estudo farmacocinético indica não ser necessário o ajuste de doses em pacientes com função hepática anornal leve a moderada (ver Farmacocinética — Insuficiência hepática). Crianças: Não há experiência clínica com AREDIA® em crianças.

Reações adversas

As reações adversas de AREDIA® geralmente são leves e transitórias. As reações adversas mais comuns são hipocalcemia assintomática e febre (um aumento na temperatura corporal de 1°C a 2°C), que ocorrem tipicamente nas primeiras 48 horas após a infusão. A febre geralmente desaparece espontaneamente e não requer tratamento. A hipocalcemia sintomática é rara. Estimativas de freqüência: Freqüente > 10%, ocasional entre > 1% e 10%, rara entre > 0,001% e 1%, casos isolados < 0,001%. Organismo de modo geral: Freqüentes: febre e sintomas semelhantes aos da gripe, algumas vezes acompanhados de mal-estar, calafrios, fadiga e rubor. Reações locais: Ocasionais: reações no local da infusão (dor, vermelhidão, edema, endurecimento, flebite e tromboflebite). Sistema musculoesquelético: Ocasionais: dor óssea transitória, artralgia, mialgia e dor generalizada. Rara: câimbra muscular. Trato gastrintestinal: Ocasionais: náuseas e vômitos. Raras: anorexia, dores abdominais, diarréia, constipação e dispepsia. Caso isolado: gastrite. Sistema nervoso central (SNC): Ocasional: cefaléia. Raras: hipocalcemia sintomática (parestesia, tetania), agitação, confusão, tontura, insônia, sonolência e letargia. Casos isolados: alucinações visuais e convulsão. Sangue: Ocasional: linfocitopenia. Raras: anemia e leucopenia. Caso isolado: trombocitopenia. Sistema cardiovascular: Raras: hipotensão e hipertensão. Casos isolados: insuficiência ventricular esquerda (dispnéia, edema pulmonar), insuficiência cardíaca congestiva (edema) causada por sobrecarga hídrica. Sistema renal: Casos isolados: hematúria, insuficiência renal aguda e deterioração de doença renal preexistente. Pele: Raras: rash (erupção) cutâneo e prurido. Órgãos dos sentidos: Casos isolados: conjuntivite, uveíte (irite, iridociclite), esclerite, epiesclerite e xantopsia. Outros: Raras: reações alérgicas, entre elas reações anafilactóides, broncoespasmo/dispnéia, edema de Quincke (angioneurótico). Muito raro: choque anafilático. Casos isolados: reativação de herpes simples e herpes-zóster. Alterações bioquímicas: Freqüentes: hipocalcemia e hipofosfatemia. Ocasional: hipomagnesemia. Raras: hiperpotassemia, hipopotassemia e hipernatremia. Casos isolados: testes de função hepática anormais, aumento da creatinina e da uréia sérica. Muitas dessas reações adversas podem estar relacionadas à doença de base.

Interações medicamentosas

Eletrólitos séricos, cálcio e fosfato devem ser monitorados, após o início da terapia com AREDIA®. Pacientes que tenham passado por cirurgia de tireóide podem ser particularmente suscetíveis ao desenvolvimento de hipocalcemia causada por hipoparatireoidismo relativo. Pacientes que recebam infusões freqüentes de AREDIA® por período de tempo prolongado, especialmente aqueles com doença renal prévia ou predisposição à insuficiência renal (P. ex.: pacientes com mieloma múltiplo e/ou hipercalcemia induzida por tumor), devem ter avaliações periódicas dos parâmetros laboratoriais e clínicos da função renal, visto que foi relatada deterioração da função renal (inclusive insuficiência renal), após tratamento em longo prazo com AREDIA® em pacientes com mieloma múltiplo. Entretanto, a progressão da doença de base e/ou as complicações concomitantes estiveram também presentes e, portanto, não está comprovada a relação causal com AREDIA®. Visto que não há nenhum dado clínico disponível sobre pacientes com insuficiência hepática grave, nenhuma recomendação específica pode ser dada para esta população de pacientes. Em pacientes com doença cardíaca, especialmente nos idosos, uma sobrecarga salina adicional pode precipitar insuficiência cardíaca (insuficiência ventricular esquerda ou insuficiência cardíaca congestiva). A febre (sintomas similares à gripe) pode também contribuir para essa deterioração. Os pacientes com doença óssea de Paget, com risco de deficiência de cálcio ou de vitamina D, devem receber suplemento oral adicional de cálcio e vitamina D, de modo a minimizar o risco de hipocalcemia.
© 2000 - 2019 Bibliomed, Inc. Todos os Direitos Reservados contato imprensa