Publicidade

Publicidade

Publicidade

ANDROXON

Laboratório

Organon do Brasil Ind. e Com. Ltda.

Principio ativo

TESTOSTERONA, UNDECANOATO

Classe

Hormônios

Composição

Cada cápsula contém: Undecanoato de testosterona 40 mg; Excipiente (ácido oleico) q.s.p. 1 cápsula.

Apresentação

Cápsulas para uso oral: Embalagens com 30 cápsulas.

Indicações

Na terapia de reposição da testosterona nos distúrbios hipogonadais masculinos, como: após castração, eunucoidismo, hipopituitarismo, impotência de origem endócrina, sintomas do climatério masculino, tais como: diminuição da libido e das atividades mental e física, certos tipos de infertilidade devido a distúrbios de espermatogênese. A terapia com testosterona também pode ser indicada na osteoporose originada pela deficiência androgênica.

Contra indicações

Pacientes com hipersensibilidade aos componentes da fórmula; suspeita ou caso confirmado de carcinoma prostático ou mamário.

Posologia

A dose de ANDROXON deve ser determinada pelo médico, de acordo com a gravidade dos sintomas e a resposta individual do paciente. A dose inicial necessária geralmente está entre 120 e 160 mg por dia, durante 2-3 semanas, seguida por uma dose de manutenção de 40-120 mg/dia. Tomar as cápsulas inteiras, com auxílio de algum líquido, após as refeições. Recomenda-se que metade da dose diária seja tomada pela manhã e a outra metade após o jantar. Se um número ímpar de cápsulas for recomendado, a dose maior deverá ser administrada pela manhã.

Reações adversas

As seguintes reações adversas estão associadas com a terapia androgênica: priapismo e outros sinais de estimulação sexual excessiva; em meninos pré-púberes: desenvolvimento sexual precoce, aumento da freqüência de ereções, aumento do pênis e fechamento prematuro das epífises; oligospermia e diminuição do volume ejaculado; retenção de água e sódio.

Interações medicamentosas

Se ocorrerem reações adversas relacionadas ao androgênio, o tratamento deverá ser interrompido e, após o desaparecimento dos sintomas, reiniciado com dose menor. Pacientes com insuficiência cardíaca latente ou manifesta, disfunção renal, hipertensão, epilepsia ou enxaqueca (ou história dessas condições) deverão ser monitorados, uma vez que o tratamento com androgênios pode, algumas vezes, causar retenção de fluidos. Androgênios deverão ser utilizados com cautela em meninos pré-púberes para evitar o fechamento prematuro das epífises ou desenvolvimento sexual precoce. Recomenda-se a monitorização da função hepática durante tratamentos longos. Deve-se ter cautela ao tratar pacientes com disfunções hepáticas. Pode haver um aumento das queixas relativas à próstata nos casos de hipertrofia prostática benigna.
© 2000 - 2019 Bibliomed, Inc. Todos os Direitos Reservados contato imprensa