Publicidade

Publicidade

Publicidade

LOXONIN

Laboratório

Sankyo Pharma Brasil Ltda.

Principio ativo

LOXOPROFENO

Classe

Antiinflamatórios

Composição

Cada comprimido de LOXONIN contém: Loxoprofeno sódico diidratado (equivalente a 60 mg de loxoprofeno sódico anidro).

Apresentação

Embalagens contendo 15 ou 30 comprimidos.

Indicações

LOXONIN está indicado como antiinflamatório e analgésico no tratamento de: artrite reumatóide, osteoartrite, periartrite escapuloumeral, processos inflamatórios osteomusculares do pescoço, ombro, braço e lombalgias; pós-traumatismo e pós-exodontia, bem como em processos inflamatórios agudos do trato respiratório superior (acompanhado ou não de bronquite aguda).

Contra indicações

Pacientes com hipersensibilidade a qualquer um dos componentes do produto; pacientes portadores de úlcera péptica grave, distúrbios hematológicos, hepáticos ou renais; pacientes com insuficiência cardíaca congestiva grave; pacientes com asma induzida por drogas antiinflamatórias não-esteroidais; pacientes gestantes no último trimestre da gravidez e durante o período de lactação.

Posologia

Em geral, recomenda-se para o adulto a posologia de 1 comprimido de LOXONIN (60 mg de loxoprofeno sódico), 3 vezes ao dia, por via oral. Em casos agudos poderá ser realizada uma única administração de 1 a 2 comprimidos de LOXONIN (60-120 mg de loxoprofeno sódico), por via oral, ajustando-se a dose de acordo com a idade e os sintomas. Deve-se evitar ultrapassar a dose diária de 180 mg, bem como a administração em jejum.

Reações adversas

Reações adversas relatadas raramente (freqüência de 0,05 % a 0,1%): Prurido, úlcera péptica, constipação, pirose, estomatite. Reações adversas pouco frequentes (freqüência de 0,1 a 1%): Rash cutâneo, dor abdominal, desconforto gástrico, anorexia, náuseas e vômitos, diarréia, sonolência, aumento de transaminases, edema. Reações adversas clínicamente significantes (freqüência desconhecida): Choque, anemia hemolítica, síndrome de Stevens-Johnson (síndrome mucocutânea-ocular), insuficiência renal, síndrome nefrótica, pneumonia intersticial (acompanhada de febre, tosse, dispnéia, eosinofilia, alterações radiológicas, etc.). Nestes casos, os pacientes devem ser observados cuidadosamente, a terapia descontinuada imediatamente e medidas apropriadas devem ser implementadas. Tem sido relatada a ocorrência de anemia aplástica após a administração de outros antiinflamatórios não-esteróides.

Interações medicamentosas

LOXONIN deve ser administrado com cautela em: paciente com história de hipersensibilidade aos componentes da fórmula; paciente com antecedente de úlcera péptica, distúrbios hematológicos, hepáticos ou renais; paciente com asma brônquica. Durante o tratamento prolongado com LOXONIN, exames laboratoriais, tais como análise urinária, hematológica e testes da função hepática, devem ser realizados periodicamente. Se forem observadas alterações, recomenda-se a redução da dose ou interrupção da terapia. Queda acentuada da temperatura, colapso e extremidades frias, etc. podem ocorrer. LOXONIN pode mascarar os sinais e sintomas de infecção. Portanto, deve ser administrado concomitantemente com um agente antibacteriano apropriado quando se tratar de processo inflamatório de origem infecciosa. O uso concomitante de LOXONIN com outros agentes antiinflamatórios ou analgésicos deve ser feito sob supervisão médica. Uso durante a gravidez e lactação: A segurança do uso de LOXONIN na gravidez não foi estabelecida. Portanto, LOXONIN somente deverá ser administrado a pacientes gestantes, se os benefícios terapêuticos justificarem os riscos potenciais para o feto. Em experiências com animais (ratos), a droga demonstrou retardar o nascimento e ser excretada no leite dos mesmos. Além disso, a droga induziu a constrição do ductus arteriosus nos fetos dos ratos, quando administrada no final da gravidez. LOXONIN não deve ser usado no último trimestre da gravidez e durante o período de lactação. Uso em pediatria: A segurança de LOXONIN em crianças não foi estabelecida. Interações medicamentosas - Co-administração cautelosa: Nome da droga Sintomas clínicos e conduta Anticoagulantes cumarínicos (p. ex.: varfarina) Os pacientes devem ser observados cuidadosamente,uma vez que LOXONIN pode intensificar os efeitos anticoagulantes de tais drogas. Se necessário, reduzir a dose. Hipoglicemiantes sulfoniluréias (p. ex.: clorpropamida) Uma vez que LOXONIN potencializa os efeitos hipoglicemiantes de tais drogas, os pacientes devem ser cuidadosamente observados. Se necessário, reduzir a dose. Antibacteriano fluorquinolona (p. ex.: norfloxacino) LOXONIN pode potencializar os efeitos de tais drogas na indução de convulsão. Preparações de lítio (carbonato de lítio) LOXONIN pode aumentar a concentração sangüínea de lítio e causar envenenamento. A concentração de lítio deve ser cuidadosamente controlada e, se necessário, reduzir a dose.
© 2000 - 2019 Bibliomed, Inc. Todos os Direitos Reservados contato imprensa