Publicidade

Publicidade

Publicidade

LORALERG

Laboratório

Lab. Americano de Farmacoterapia S.A.

Principio ativo

LORATADINA

Classe

Alergias

Composição

Comprimido: Cada comprimido contém 10 mg de loratadina. Excipientes: Lactose, celulose microcristalina, dióxido de silício, estearato de magnésio. Xarope: Cada 5 ml contém 5 mg de loratadina. Excipientes: Ácido cítrico, glicerol, propilenoglicol, metilparabeno, propilparabeno, mentol, aroma natural de cereja, sacarose.

Apresentação

LORALERG (loratadina) comprimido: Embalagem com 10 comprimidos. LORALERG (loratadina) xarope: Frasco com 60 ml.

Indicações

Loratadina está indicada no tratamento sintomático de manifestações associadas com rinite alérgica, tais como coriza, espirros e prurido nasal, ardor e prurido ocular. É indicada também para o tratamento sintomático da urticária crônica e outras afecções dermatológicas alérgicas.

Contra indicações

Pacientes que apresentem hipersensibilidade ou idiossincrasia à droga ou a qualquer um dos componentes da fórmula.

Posologia

Adultos e crianças acima de 12 anos: 1 comprimido ou 10 ml de xarope (10 mg), uma vez ao dia. Crianças de 2 a 12 anos (peso corporal abaixo de 30 kg): 5 ml (5 mg), uma vez ao dia. Peso corporal acima de 30 kg: 10 ml ou 1 comprimido (10 mg), uma vez ao dia.

Reações adversas

Loratadina não demonstrou, em estudos clínicos controlados, atividade sedativa ou anticolinérgica significativa. Foram relatadas, embora raramente, as seguintes reações adversas: Pele e anexos: Dermatite, cabelo e pele secos, urticária e fotossensibilidade. Sintomas psiquiátricos: Depressão, agitação, insônia, amnésia, confusão e aumento da libido. Sistema nervoso autônomo: Salivação e lacrimejamento alterados, transpiração aumentada e impotência. Sistema cardiovascular: Hipotensão, palpitações, síncope e taquicardia. Sistema gastrointestinal: Náusea, vômito, flatulência, gastrite, constipação e anorexia. Sistema musculoesquelético: Artralgia e mialgia. Sistema reprodutivo: Dismenorréia e vaginite. Sistema respiratório: Secura nasal, faringite, dispnéia, congestão nasal e broncoespasmo. Sistema urinário: Descoloração da urina e alteração da micção.

Interações medicamentosas

Gravidez e lactação: Não há dados suficientes para assegurar o uso da loratadina na gravidez e lactação. O produto, portanto, não deve ser administrado a mulheres grávidas ou durante o período de lactação, a menos que o médico considere que as vantagens superem eventuais riscos. As concentrações ativas no leite materno são semelhantes às do plasma. Após 48 horas, somente 0,029% da dose administrada é excretada no leite materno. Em estudos com animais, a loratadina atravessa a barreira placentária. Pacientes com hepatopatia grave devem ter a dose reduzida, pois podem apresentar uma diminuição do clearance da loratadina. Recomenda-se dose inicial de 5 mg ao dia ou 10 mg em dias alternados. A segurança e eficácia da loratadina não estão estabelecidas em crianças abaixo de 2 anos. Interações farmacológicas em testes de laboratório: Deve-se suspender o tratamento aproximadamente 48 horas antes da realização de qualquer prova cutânea, pois a loratadina pode impedir ou diminuir as reações que seriam positivas aos indicadores de reatividade dérmica. Drogas que inibem o metabolismo hepático devem ser usadas com precaução, até que se completem os estudos sobre interações.
© 2000 - 2019 Bibliomed, Inc. Todos os Direitos Reservados contato imprensa