Publicidade

Publicidade

Publicidade

PULMOZYME

Laboratório

Prod. Roche Químicos e Farmacêuticos S.a.

Principio ativo

DORNASE ALFA

Classe

Composição

Pulmozyme® (Dornase alfa [rhDNase]) Solução para inalação é apresentado em ampolas. Cada ampola fornece 2,5 ml de solução aquosa estéril, transparente, incolor contendo 1,0 mg/ml de dornase alfa, 0,15 mg/ml de cloreto de cálcio diidratado e 8,77 mg/ml de cloreto de sódio, sem conservante. O pH da solução é de 6,3.

Apresentação

Pulmozyme® (Dornase alfa [rhDNase]) é apresentado em caixas contendo 6 ampolas de dose única.

Indicações

A administração diária de Pulmozyme® (Dornase alfa [rhDNase]), juntamente com a terapêutica convencional, está indicada no tratamento de pacientes portadores de fibrose cística para reduzir a freqüência das infecções respiratórias requerendo antibioticoterapia intravenosa e melhorar a função respiratória.

Contra indicações

Pulmozyme® (Dornase alfa [rhDNase]) é contra-indicado para pacientes com hipersensibilidade comprovada à dornase alfa, produtos originários de células de ovário de hamster chinês ou aos componentes do produto.

Posologia

— A dose recomendada para a maioria dos pacientes portadores de fibrose cística é de uma ampola com dose unitária de 2,5 mg, uma vez ao dia, utilizando o nebulizador recomendado. Alguns pacientes podem beneficiar-se com a administração duas vezes ao dia (ver Experiência clínica, Tabela 1). Os estudos clínicos foram conduzidos com os seguintes nebulizadores e compressores: nebulizador a jato descartável Hudson T Up-draft II e nebulizador a jato descartável Marquest Acom II, juntamente com o compressor Pulmo-Aide e o nebulizador reutilizável PARI LC a jato juntamente com o compressor PARI PRONEB. A segurança e a eficácia foram demonstradas somente com o uso dos sistemas de nebulização recomendados. Não existem, até o momento, dados clínicos que dêem suporte à eficácia e segurança da administração de Pulmozyme® (Dornase alfa [rhDNase]) com outros sistemas nebulizadores. O paciente deve seguir as instruções do fabricante sobre o uso e a manutenção do equipamento. Pulmozyme® (Dornase alfa [rhDNase]) não deve ser diluído ou misturado a outros medicamentos no nebulizador. A mistura de Pulmozyme® (Dornase alfa [rhDNase]) a outros medicamentos pode determinar alterações físico-químicas e/ou funcionais adversas no Pulmozyme® (Dornase alfa [rhDNase]) ou no composto adicionado.

Reações adversas

Os pacientes foram expostos a Pulmozyme® (Dornase alfa [rhDNase]) durante até 12 meses em estudos clínicos. Em um amplo estudo clínico randomizado, controlado com placebo, no qual 600 pacientes receberam Pulmozyme® (Dornase alfa [rhDNase]) na dose de 2,5 mg, uma a duas vezes ao dia, durante seis meses, a maioria dos eventos adversos não foi mais comum com Pulmozyme® (Dornase alfa [rhDNase]) do que com o placebo e provavelmente representou as seqüelas da patologia pulmonar de base. Na maioria dos casos, em que os eventos estavam aumentados em pacientes tratados com rhDNase, eles foram, geralmente, de natureza leve e transitória, não requerendo alterações de dosagem. Poucos pacientes experimentaram eventos adversos que resultassem em descontinuação permanente do Pulmozyme® (Dornase alfa [rhDNase]), sendo o índice de descontinuação similar para o placebo (2%) e para Pulmozyme® (Dornase alfa [rhDNase]) (3%). Os eventos mais freqüentes em pacientes tratados com Pulmozyme® (Dornase alfa [rhDNase]) em relação àqueles tratados com placebo estão relacionados na Tabela 2. Tabela 2 — Eventos adversos relatados em um estudo controlado Evento adverso Placebo (n = 325) Pulmozyme® (Dornase alfa [rhDNase]) 1 x dia (n = 322) Pulmozyme (Dornase alfa [rhDNase]) 2 x dia (n = 321) Rouquidão 7% 12% 16% Faringite 33% 36% 40% Laringite 1% 3% 4% Rash cutâneo 7% 10% 12% Dor torácica 16% 18% 21% Conjuntivite 2% 4% 5% Eventos observados com índices similares em pacientes tratados com Pulmozyme® (Dornase alfa [rhDNase]) e com placebo O organismo como um todo: Dor abdominal, astenia, febre, síndrome gripal, mal estar, sepse. Aparelho digestivo: Obstrução intestinal, patologia da vesícula biliar, patologia hepática, patologia pancreática. Sistema metabólico-nutricional Diabetes mellitus, hipoxia, perda de peso Aparelho respiratório: Apnéia, bronquiectasia, bronquite, alterações das características do esputo, aumento da tosse, dispnéia, hemoptise, redução da função pulmonar, pólipos nasais, pneumonia, pneumotórax, rinite, sinusite, aumento do volume do escarro, sibilos. Os índices de mortalidade observados nos estudos controlados foram similares para o placebo (1%) e para Pulmozyme® (Dornase alfa [rhDNase]) (1%). As causas das mortes foram consistentes com a evolução da fibrose cística e incluíram apnéia, parada cardíaca, seqüestro cardiopulmonar, cor pulmonale, insuficiência cardíaca, hemoptise maciça, pneumonia, pneumotórax e insuficiência respiratória. Reações alérgicas: Não foram relatadas reações alérgicas sérias ou anafilaxia atribuídas à administração de Pulmozyme® (Dornase alfa [rhDNase]). Erupções cutâneas e urticária foram observadas raramente, tendo sido de natureza leve e transitória. Dentre todos os estudos conduzidos até o momento, uma pequena percentagem (média de 2%-4%) dos pacientes tratados com Pulmozyme® (Dornase alfa [rhDNase]) desenvolveram anticorpos contra Pulmozyme® (Dornase alfa [rhDNase]). Nenhum desenvolveu anafilaxia, sendo desconhecida a significância clínica dos anticorpos séricos contra o Pulmozyme® (Dornase alfa [rhDNase]).

Interações medicamentosas

Gerais: Pulmozyme® (Dornase alfa [rhDNase]) deve ser utilizado juntamente com a terapêutica convencional para fibrose cística. Carcinogenicidade, mutagenicidade e prejuízo da fertilidade: Carcinogenicidade: Está em andamento um estudo de dois anos sobre a toxicidade da inalação de Pulmozyme® (Dornase alfa [rhDNase]) em ratos para avaliar o potencial oncogenético. Mutagenicidade: Provas de Ames utilizando seis diferentes cepas de bactérias de teste (4 de S. typhimurium e 2 de E. coli) em concentrações de até 5.000 mcg/placa, um ensaio citogenético utilizando linfócitos humanos de sangue periférico em concentrações de até 2.000 mcg/placa e um ensaio de linfoma de camundongos, em concentrações de até 1.000 mcg/placa, com e sem ativação metabólica, não revelaram quaisquer evidências de potencial mutagênico. Pulmozyme® (Dornase alfa [rhDNase]) foi submetido a um ensaio de micronúcleo (in vivo) para aferir seu potencial para produzir danos cromossômicos em células de medula óssea de camundongos após uma dose intravenosa em bolo de 10 mg/kg durante dois dias consecutivos. Não foi observada nenhuma evidência de dano cromossômico. Prejuízo da fertilidade: Em estudos conduzidos em ratos medicados com até 10 mg/kg/dia, dose essa representando uma exposição sistêmica 600 vezes maior que a dose recomendada para seres humanos, a fertilidade e o desempenho reprodutivo, em animais de ambos os sexos não foi afetada.
© 2000 - 2019 Bibliomed, Inc. Todos os Direitos Reservados contato imprensa