Publicidade

Publicidade

Publicidade

PRIVINA

Laboratório

Novartis Biociências S.a.

Principio ativo

NAFAZOLINA, NITRATO

Classe

Composição

Cada ml contém 1 mg de nitrato de nafazolina. Excipientes: Cloreto de benzalcônio, fosfato monossódico e dissódico, edetato de sódio, cloreto de sódio e água purificada.

Apresentação

Solução nasal a 1:1.000: Frasco plástico gotejador com 15 ml.

Indicações

Alívio sintomático da congestão nasal causada por resfriados de vários tipos. Como auxiliar na drenagem das secreções, nas afecções dos seios paranasais. Para facilitar a rinoscopia.

Contra indicações

Rinite seca. Hipersensibilidade conhecida à nafazolina ou aos componentes da formulação. Crianças abaixo de 12 anos. Assim como outros vasoconstritores, o produto não deve ser empregado após hipofisectomia transesfenoidal ou após cirurgias oronasais em que ocorra exposição da dura-máter.

Posologia

Instilar somente uma gota da solução em cada narina a cada 3 horas, inspirando ar pelo nariz. Não exceder a 4 aplicações por dia. A terapia com PRIVINA intranasal não deve exceder a duração de 3 dias. Pelo risco de sobredosagem, PRIVINA não deve ser usado em crianças com menos de 12 anos.

Reações adversas

Locais: Sensação de pontada, de queimadura, espirro, rinorréia, secura da mucosa nasal, perda do olfato. Transcorridas 6 horas após a administração, pode-se instalar uma hiperemia reativa de breve duração. O uso prolongado e ininterrupto de PRIVINA pode conduzir a uma congestão de rebote, afetando a mucosa nasal. A função normal do epitélio ciliado nasal pode ser acometida em diferentes graus. Sistêmicas: Hipertensão, nervosismo, náusea, cefaléia. O uso prolongado e ininterrupto de PRIVINA pode conduzir ao hábito (como um resultado da congestão de rebote).

Interações medicamentosas

A terapia intranasal com PRIVINA não deve exceder a duração de 3-5 dias. Se a obstrução nasal persistir após 3 dias de tratamento sem nenhuma melhora, mesmo que temporária, o medicamento deve ser suspenso e o médico deve ser consultado. Não exceder a dose recomendada. Como com outros descongestionantes nasais simpatomiméticos, o uso prolongado de PRIVINA pode conduzir à congestão nasal de rebote (nariz obstruído). Pacientes com hipertireoidismo, diabetes mellitus, doença cardiovascular, doenças das artérias coronarianas, doenças isquêmicas do coração ou hipertrofia prostática podem utilizar o medicamento somente com indicação médica. PRIVINA também deve ser usada com cautela em pacientes que apresentem forte reação a agentes simpatomiméticos, evidenciada por sinais de insônia, vertigem e outros.
© 2000 - 2019 Bibliomed, Inc. Todos os Direitos Reservados contato imprensa