Publicidade

Publicidade

Publicidade

ABSTEN S

Laboratório

Medley S.A. Indústria Farmacêutica.

Principio ativo

MAZINDOL

Classe

Anorexígenos

Composição

Cada comprimido de ABSTEN® S contém: mazindol ........................................................................................................ 1,0 mg excipiente q.s.p. ................................................................................ 1 comprimido (celulose microcristalina, lactose, croscarmelose sódica, dióxido de silício coloidal, estearato de magnésio)

Apresentação

Comprimidos: cartucho com 20 unidades.

Indicações

ABSTEN® S está indicado como coadjuvante no tratamento da obesidade exógena a curto prazo (poucas semanas), nos esquemas de redução de peso baseado em restrição calórica, exercício físico e mudança no hábito alimentar. O benefício deste tipo de medicamento deve ser avaliado frente aos possíveis fatores de risco inerentes ao seu uso.

Contra indicações

Não deve ser usado em pacientes que apresentem glaucoma, hipersensibilidade ou idiossincrasia ao mazindol, estados de agitação, pacientes com história de abuso ou dependência de drogas e de álcool, durante ou nos 14 dias que se seguem a administração de inibidores da monoamino-oxidase - IMAO (pode resultar em crises hipertensivas), enfermidade cardiovascular sintomática, incluindo arritmias, isquemia cerebral, hipertensão, uremia, diabetes mellitus, psicoses, especialmente esquizofrenia. Gravidez e período de amamentação. O uso de ABSTEN® S em crianças abaixo de 12 anos de idade, não é recomendado

Posologia

A posologia deve ser individualizada para obter a resposta adequada com a dose mínima eficaz. A dose usual é de 1 comprimido, três vezes ao dia, uma hora antes das refeições ou 2 comprimidos, uma vez ao dia, uma hora antes do almoço. Para determinar a menor dose efetiva, a terapia com mazindol pode ser iniciada com 1 mg uma vez ao dia e ajustada conforme a necessidade e resposta do paciente. Se ocorrer desconforto gastrointestinal, ABSTEN® S deve ser administrado junto com as refeições. A última dose regular diária deve ser ingerida 4 a 6 horas antes de dormir.

Reações adversas

As seguintes reações adversas requerem atenção médica: Incidência rara: confusão ou depressão mental; erupções cutâneas ou urticárias (reações alérgicas). Requerem atenção médica somente se persistirem: Incidência mais freqüente: secura na boca; taquicardia; nervosismo ou inquietude; insônia. Incidência menos freqüente: diarréia; enjôo ou sensação de enjôo; sonolência; cefaléia; aumento da sudorese; náuseas ou vômitos; palpitações; cãimbras ou dores estomacais; paladar desagradável. Incidência rara: visão borrada; alterações na libido; diminuição na capacidade sexual; micção dificultada ou dolorosa; cansaço ou debilidade não habitual.

Interações medicamentosas

Os anoréxicos podem diminuir ou inibir o fluxo salivar (secura na boca), especialmente em pacientes de meia idade ou idosos, contribuindo assim para o aparecimento de cáries, enfermidades periodontais, candidíase oral e mal estar. A secura na boca pode ser aliviada com o auxílio de balas ou chicletes sem açúcar ou substitutos da saliva. O mazindol pode diminuir a habilidade do paciente para exercer atividades que requeiram atenção, como dirigir veículos ou operar máquinas. A relação risco-benefício deve ser avaliada em pacientes que apresentem diabetes mellitus, hipertensão e em pacientes psicóticos, especialmente com esquizofrenia, cujas condições podem ser exacerbadas. Gravidez: experimentos realizados em animais sugerem um potencial teratogênico em doses elevadas, portanto o uso de mazindol não é recomendado durante a gravidez. Lactação: não se sabe se o mazindol é excretado no leite materno, portanto, seu uso não é recomendado no período de amamentação. Crianças: como a segurança e a eficácia do medicamento para crianças com idade abaixo de 12 anos não estão estabelecidas, não se recomenda o emprego do medicamento em crianças nessa faixa etária. Álcool: o uso concomitante com os supressores de apetite não é recomendado, visto que pode aumentar o potencial para ocorrer efeitos sobre o SNC, tais como: tontura, vertigem, fraqueza, síncope e confusão. O uso dos anoréxicos é recomendado por período a curto prazo, uma vez que se desenvolve tolerância aos efeitos anorexígenos geralmente em um período de 6 a 12 semanas. Caso ocorra tolerância, deve-se interromper a medicação, ao invés de aumentar a dose, com o intuito de intensificar o efeito. O uso prolongado, especialmente de doses maiores às terapêuticas, pode provocar dependência física ou psíquica.
© 2000 - 2019 Bibliomed, Inc. Todos os Direitos Reservados contato imprensa