Publicidade

Publicidade

Publicidade

GYNAZOLE-1

Laboratório

Sigma Pharma

Principio ativo

BUTOCONAZOL, NITRATO TÓPICO

Classe

Antifúngicos

Composição

Cada 5 gramas do creme contém: Nitrato de butoconazol 100 mg; Veículo (solução sorbitol, óleo mineral, monoisoestearato de glicerila, oleato de poliglicerila-4, cera microcristalina, dióxido de silício coloidal, edetato dissódico, metilparabeno, propilparabeno, propilenoglicol, água purificada) q.s.p. 5 g.

Apresentação

Creme vaginal 2%: Embalagem contendo aplicador pré-envasado com 5 g.

Indicações

GYNAZOLE-1® está indicado para tratamento local de infecções micóticas vulvovaginais causadas por Candida albicans. O diagnóstico deve ser confirmado por esfregaços de KOH e/ou culturas.

Contra indicações

GYNAZOLE-1® é contra-indicado em pacientes com história de hipersensibilidade a qualquer dos componentes da fórmula. GYNAZOLE-1® é seguro e eficaz em mulheres não-grávidas; a eficácia e a segurança deste produto não foram estabelecidas para mulheres grávidas.

Posologia

A dose de GYNAZOLE-1® recomendada é um aplicador pré-envasado (aproximadamente 5 gramas do creme), por via intravaginal em dose única. Esta quantidade de creme contém 100 mg de nitrato de butoconazol.

Reações adversas

Das 314 pacientes tratadas com GYNAZOLE-1® durante 1 dia em estudos clínicos controlados, 18 pacientes (5,7%) relataram queimação, coceira, secura e inchaço vulvar/vaginal, dores, cãibras pélvicas ou abdominais ou uma combinação de dois ou mais destes sintomas. Em 3 pacientes (1%), as queixas foram consideradas relacionadas ao tratamento. Cinco das 18 pacientes que relataram efeitos adversos descontinuaram o tratamento.

Interações medicamentosas

Caso os sintomas clínicos persistam, devem ser repetidos os testes microbiológicos para excluir outros patógenos, para confirmar o diagnóstico ou para excluir outras condições que podem predispor a paciente a infecções vaginais fúngicas recorrentes. Se sensibilização ou irritação forem observadas durante o uso do medicamento, o médico deverá ser informado. Carcinogênese, mutagênese e fertilidade prejudicada: Carcinogênese: Não foram realizados estudos em longo prazo com animais para avaliar o potencial carcinogênico do nitrato de butoconazol. Mutagenicidade: O nitrato de butoconazol não foi mutagênico no teste bacteriano Ames, para leveduras, no teste de aberração cromossômica de células CHO, no teste do ponto de mutação CHO/HGPRT, com micronúcleos de camundongos e em testes letais dominantes em ratos. Fertilidade prejudicada: Não foi observada diminuição de fertilidade em coelhos ou ratos que receberam administração de nitrato de butoconazol em doses orais até 30 mg/kg/dia (5 vezes a dose humana baseada em mg/m2) ou 100 mg/kg/dia (10 vezes a dose humana baseada em mg/m2), respectivamente. Gravidez (categoria C): Em ratas prenhes que receberam administração de 6 mg/kg/dia de nitrato de butoconazol por via intravaginal durante o período de organogênese, foi observado aumento da taxa de reabsorção e diminuição do tamanho das crias; porém, não foi observada teratogenicidade. Esta dose representa uma margem de segurança de 130 a 133 vezes com base nos níveis séricos atingidos em ratos após a administração intravaginal, comparada com os níveis séricos alcançados em humanos após a administração intravaginal da dose terapêutica recomendada de nitrato de butoconazol. O nitrato de butoconazol não apresenta efeito adverso aparente quando administrado por via oral para ratas prenhes durante a organogênese, com níveis de dosagem de até 50 mg/kg/dia (5 vezes a dose humana baseada em mg/mg2). Doses orais de 100, 300 ou 750 mg/kg/dia (10, 30 ou 75 vezes a dose humana baseada em mg/m2, respectivamente) resultaram em malformações fetais (defeitos da parede abdominal, fenda palatina), mas também tornou-se evidente o estresse materno com estes altos níveis de dosagem. Porém, não foram observados efeitos adversos sobre as crias de coelhos que receberam nitrato de butoconazol por via oral, inclusive com níveis de dosagem maternalmente estressantes (p. ex., 150 mg/kg/dia, 24 vezes a dose humana baseada em mg/m2). O nitrato de butoconazol, como todos os demais agentes antifúngicos azólicos, causa distocia em ratos quando o tratamento é prolongado além do parto. Porém, este efeito não foi observado em coelhos tratados com até 100 mg/kg/dia (16 vezes a dose humana baseada em mg/m2). Porém, não existem estudos adequados e bem controlados em mulheres grávidas. GYNAZOLE-1® pode ser usado durante a gravidez a critério médico e somente se os benefícios para a mãe justificarem os riscos potenciais para o feto. Lactação: Não é conhecido se esta droga é excretada no leite materno. Como muitas drogas o são, devem ser adotadas precauções quando o nitrato de butoconazol for administrado durante a lactação. Uso pediátrico: A segurança e a eficácia não foram estabelecidas em crianças.
© 2000 - 2019 Bibliomed, Inc. Todos os Direitos Reservados contato imprensa