Publicidade

Publicidade

Publicidade

DIPROCORT

Laboratório

Cifarma Científica Farmacêutica Ltda.

Principio ativo

BETAMETASONA, DIPROPIONATO (Assoc.)

Classe

Corticosteróides

Composição

Cada ampola de DIPROCORT contém: Dipropionato de betametasona equivalente a 5 mg de betametasona; Fosfato dissódico de betametasona equivalente a 2 mg de betametasona. Veículo (fosfato dissódico, cloreto de sódio, polissorbato, edetato dissódico, álcool benzílico, metilparabeno, propilparabeno, propilenoglicol, polietilenoglicol e água para injeção) q.s.p. 1 ml.

Apresentação

Embalagem contendo 1 ampola com 1 ml e 1 seringa descartável esterilizada.

Indicações

Tratamento de doenças agudas e crônicas suscetíveis aos corticosteróides.

Contra indicações

Pacientes com infecções sistêmicas por fungos. Hipersensibilidade aos sais de betametasona, a outros corticosteróides. Não deve ser administrado por via intramuscular a pacientes com púrpura trombocitopênica idiopática.

Posologia

Administração sistêmica: Deverá ser iniciada com 1 a 2 ml na maioria das condições e repetida quando necessário. A administração é através de injeção intramuscular profunda na região glútea. A dosagem e a freqüência das administrações dependem da gravidade da condição do paciente e da resposta terapêutica. Administração local: O uso concomitante de anestésicos é raramente necessário, se isto for desejável, pode ser misturado (na seringa) com lidocaína ou procaína 1% a 2% ou anestésicos locais similares. Devem ser evitados os que contenham parabenos e derivados fenólicos. A dose necessária de DIPROCORT é transferida para a seringa e, em seguida, o anestésico. A mistura na seringa deve ser agitada levemente. Depois de obtida uma resposta favorável, a dose de manutenção deverá ser determinada através da diminuição da dose inicial em decréscimos graduais, a intervalos apropriados, até que seja encontrada a dose mínima capaz de manter uma resposta clínica adequada. A exposição do paciente a situações de estresse não-relacionadas à doença em curso poderá ser necessário um aumento da dose de DIPROCORT. Se for necessária a descontinuação da medicação após tratamento prolongado, a dose deverá ser reduzida gradualmente.

Reações adversas

Reações adversas a DIPROCORT poderão usualmente ser revertidas ou minimizadas por uma redução na dose. Embora a incidência de reações adversas a DIPROCORT seja baixa, há possível ocorrência de uma ampla gama de efeitos colaterais, sendo os mais freqüentes: alterações hidreletrolíticas, osteomusculares, gastrintestinais, dermatológicas, neurológicas, endócrinas, oftálmicas, metabólicas, distúrbios psiquiátricos. Outras: reações anafiláticas, hipersensibilidade, hipotensão e choque. As reações adversas estão relacionadas com a dose e a duração do tratamento. Reações adversas relacionadas ao tratamento corticosteróide parenteral incluem casos raros de cegueira associados ao tratamento intralesional da face e da cabeça; hiper ou hipopigmentação, atrofias cutânea e subcutânea, abscessos estéreis, área de rubor pós-injeção (seguida ao uso intra-articular), atropatia do tipo Charcot.

Interações medicamentosas

© 2000 - 2019 Bibliomed, Inc. Todos os Direitos Reservados contato imprensa