Publicidade

Publicidade

Publicidade

DAIVOBET

Laboratório

Produtos ROCHE Químicos e Farmacêuticos S/A

Principio ativo

CALCIPOTRIOL, HIDRATO TÓPICO (Assoc.)

Classe

Composição

Ingrediente ativo: Hidrato de calcipotriol (equivalente a 50 microgramas/grama de calcipotriol) e dipropionato de betametasona (equivalente a 0,5 miligramas/grama de betametasona). Excipientes: Parafina líquida, polioxipropileno-15-estearil éter, a-tocoferol e parafina branca macia.

Apresentação

Pomada: Bisnaga de alumínio contendo 100 g.

Indicações

Daivobet (Hidrato de calcipotriol/Dipropionato de betametasona) está indicado no tratamento tópico da psoríase vulgar.

Contra indicações

Daivobet (Hidrato de calcipotriol/Dipropionato de betametasona) é contra-indicado nos seguintes casos: hipersensibilidade conhecida a qualquer um dos princípios (hidrato de calcipotriol, dipropionato de betametasona ou qualquer outro componente da fórmula), pacientes com alteração do metabolismo de cálcio, pacientes com doença renal ou hepática graves e em pacientes com lesões cutâneas virais, infecções fúngicas ou bacterianas da pele. Não existe experiência com o uso de Daivobet (Hidrato de calcipotriol/Dipropionato de betametasona) em crianças e, portanto, não é indicado para esse grupo etário.

Posologia

Daivobet (Hidrato de calcipotriol/Dipropionato de betametasona) mostrou-se eficaz na psoríase vulgar quando aplicado uma vez ao dia. A dose máxima não deve ultrapassar 100 g semanais. Na falta de dados de segurança e de eficácia em longo prazo, deve ser evitado o tratamento continuado por mais de 4 semanas. Após este período, o tratamento de manutenção pode ser feito com hidrato de calcipotriol isoladamente.

Reações adversas

Poderá ocorrer prurido. Outras reações locais, como irritação local transitória, dermatite, eritema ou piora da psoríase, relatadas com o uso de hidrato de calcipotriol, poderão ocorrer. Atrofia da pele, telangiectasia e estrias, embora não tenham sido relatadas durante os estudos clínicos, poderão ocorrer quando Daivobet (Hidrato de calcipotriol/Dipropionato de betametasona) for utilizado em longo prazo. Como observado com outros corticosteróides, foliculite, hipertricose, dermatite perioral, dermatite de contato e despigmentação, embora raros, poderão ocorrer.

Interações medicamentosas

Daivobet (Hidrato de calcipotriol/Dipropionato de betametasona) não deve ser usado no rosto. As mãos devem ser lavadas após cada aplicação, para evitar o contato da pomada com a face. Pode ocorrer hipercalcemia caso a dose máxima semanal de 100 g seja excedida. O cálcio sérico, entretanto, é rapidamente normalizado com a interrupção do tratamento. Embora o potencial para efeitos sistêmicos após a absorção percutânea do corticosteróide é remoto, já que a absorção da betametasona de Daivobet (Hidrato de calcipotriol/Dipropionato de betametasona) mostrou ser mínima, os efeitos adversos relatados durante a corticoterapia sistêmica, como a supressão adrenocortical ou o agravamento do diabetes mellitus, poderão eventualmete ocorrer. A recorrência rebote e a psoríase pustular foram descritas após o tratamento da psoríase vulgar com corticosteróides, porém estas são raramente vistas e não apresentam risco significativo no tratamento com Daivobet (Hidrato de calcipotriol/Dipropionato de betametasona). Deve ser evitada a aplicação em grandes áreas de pele danificada e sob curativos oclusivos ou em dobras cutâneas já que estes fatos aumentam a absorção sistêmica dos corticosteróides. Apesar de se julgar que o hidrato de calcipotriol não seja metabolizado nos rins, este fato não pode ser excluido e Daivobet (Hidrato de calcipotriol/Dipropionato de betametasona) não deve, portanto, ser usado em pacientes com doença renal grave. Da mesma forma, não se recomenda o uso de Daivobet (Hidrato de calcipotriol/Dipropionato de betametasona) em pacientes com doença hepática grave pelo potencial para o acúmulo do hidrato de calcipotriol, uma vez que o mesmo é metabolizado no fígado.
© 2000 - 2019 Bibliomed, Inc. Todos os Direitos Reservados contato imprensa