Publicidade

Publicidade

Publicidade

CONTIFLO OD

Laboratório

Ranbaxy Farmacêutica Ltda.

Principio ativo

TANSULOSINA, CLORIDRATO

Classe

Composição

Cloridrato de tansulosina 0,4 mg; Excipientes q.s. 1 cápsula. Excipientes: Celulose microcristalina (Avicel PH-101), estearato de magnésio, dispersão de etilacrilato copolímero de ácido metilacrílico (Eudragit L30 — D55), etilacrilato copolímero de ácido metilacrílico (Eudragit L100 — 55), hidróxido de sódio, triacetina, talco purificado, dióxido de titânio.

Apresentação

Cloridrato de tansulosina em cápsulas de liberação controlada de 0,4 mg com 20 e 30 cápsulas.

Indicações

CONTIFLO® OD destina-se ao tratamento da hiperplasia prostática benigna.

Contra indicações

CONTIFLO® OD não deve ser tomado por pacientes que tenham apresentado alergia à tansulosina ou a qualquer outro componente da formulação; pacientes com insuficiência hepática ou renal graves; assim como pacientes que tenham apresentado queda da pressão arterial quando levantam após ficarem deitados.

Posologia

A dose diária recomendada de cloridrato de tansulosina é de 0,4 mg.

Reações adversas

Durante o uso de cloridrato de tansulosina observaram-se ocasionalmente as seguintes reações adversas: vertigem, ejaculação retrógrada e, raramente, hipotensão ortostática, cefaléia, astenia, palpitações e rinite. Reações gastrintestinais, tais como náusea, vômito, diarréia e constipação, podem ocorrer ocasionalmente. Reações de hipersensibilidade, tais como rash, prurido e urticária, podem ocorrer ocasionalmente; angioedema foi relatado raramente. Há relatos de síncope e muito raros de priapismo. Teoricamente, pode ocorrer queda da pressão arterial durante o tratamento com cloridrato de tansulosina, podendo levar muito raramente a um colapso circulatório. Ao aparecerem os primeiros sinais de hipotensão ortostática (tonturas, fraqueza), o paciente deverá sentar-se ou deitar-se até o desaparecimento dos sintomas. Até agora não se observaram interferências do uso de tansulosina sobre a capacidade de dirigir veículos ou de operar máquinas. Entretanto, sob este aspecto, os pacientes devem ser conscientizados da possibilidade de ocorrência de vertigem.

Interações medicamentosas

Durante o tratamento com cloridrato de tansulosina pode ocorrer uma diminuição da pressão arterial que, em casos excepcionais, pode levar a um colapso circulatório. Pacientes com história de hipotensão ortostática podem ser mais propensos a desenvolver esta desordem. Aos primeiros sinais de hipotensão ortostática (náusea, sensação de debilidade), o paciente deve sentar-se ou deitar-se até o desaparecimento dos sintomas. Antes de se iniciar o tratamento com cloridrato de tansulosina, o paciente deve ser submetido a exames, a fim de excluir a presença de outras condições que possam originar os mesmos sintomas da hiperplasia prostática benigna, tais como carcinoma da próstata. O tratamento de pacientes com insuficiência renal grave (clearance de creatinina < 10 ml/min) ou de pacientes com insuficiência hepática grave deve ser feito com cautela, uma vez que não há estudos de tais pacientes.
© 2000 - 2019 Bibliomed, Inc. Todos os Direitos Reservados contato imprensa