Publicidade

Publicidade

Publicidade

CIPRAMIL

Laboratório

Lundbeck Brasil Ltda.

Principio ativo

CITALOPRAM

Classe

Antidepressivos e analépticos

Composição

Apresentação

CIPRAMIL (citalopram) comprimidos de 20 mg: Embalagem contendo 14 ou 28 comprimidos.

Indicações

Tratamento e prevenção de recaída ou recorrência da depressão; de transtornos do pânico com ou sem agorafobia e em transtorno obsessivo-compulsivo.

Contra indicações

Pacientes que apresentam hipersensibilidade a qualquer um de seus componentes. Tratamento concomitante com IMAOs (inibidores da monoaminoxidase), incluindo selegilina (inibidor seletivo da MAO-B) em doses acima de 10 mg por dia, é contra-indicado.

Posologia

Dose única diária, independentemente da ingestão de alimentos. A resposta ocorre geralmente após 2 a 3 semanas de tratamento e um possível aumento da dose (em elevações de 10 mg) pode ser realizado em intervalos de 2 a 3 semanas. Adultos: Tratando depressão: Dose oral única de 20 mg por dia. A dose pode ser aumentada até um máximo de 60 mg por dia. Tratando transtorno do pânico: Dose oral única de 10 mg na primeira semana, antes de se aumentar a dose para 20 mg por dia, até um máximo de 60 mg por dia. Tratando transtorno obsessivo -compulsivo: Dose inicial de 20 mg, podendo ser aumentada até 60 mg. Pacientes idosos (> 65 anos de idade): Tratando depressão: Dose única oral de 20 mg por dia, podendo ser aumentada até um máximo de 40 mg por dia. Tratando transtorno do pânico: Dose oral única de 10 mg na primeira semana, antes de se aumentar a dose para 20 mg por dia, até um máximo de 40 mg por dia. Crianças: Não se recomenda o uso em crianças, uma vez que a segurança desse fármaco não está estabelecida para crianças. Função renal reduzida: Não é necessário ajuste da posologia em pacientes com comprometimento renal leve ou moderado. Função hepática reduzida: Não utilizar doses superiores a 30 mg/dia devido à eliminação mais lenta (meia-vida 2 vezes mais longa). Duração do tratamento: Melhora significativa do humor deprimido pode ser notada na primeira semana de tratamento e uma resposta antidepressiva total em 2 a 4 semanas. O tratamento deve ser continuado por tempo apropriado, geralmente 6 meses ou mais, após melhora clínica, a fim de se prevenir recorrência. A eficácia no tratamento do transtorno do pânico é alcançada depois de cerca de 3 meses e a resposta é mantida durante tratamento continuado. O início do efeito no tratamento do transtorno obsessivo-compulsivo é de 2 a 4 semanas. Na interrupção do tratamento, a medicação deve ser gradualmente retirada, ao longo de algumas semanas.

Reações adversas

As reações adversas são em geral leves e transitórias; mais freqüentes durante a primeira ou segunda semana de tratamento. Os efeitos adversos mais comumente observados em estudos duplo-cegos (n = 1.083), controlados por placebo (n = 486) foram: náuseas, boca seca, sonolência, sudorese aumentada, tremor, diarréia e distúrbio de ejaculação. Os eventos adversos mais comumente relatados em estudos clínicos com o citalopram (n = 3.107) foram: sudorese aumentada, cefaléia, tremor, sonolência, insônia, boca seca, náuseas, constipação e astenia.

Interações medicamentosas

Alguns pacientes com transtorno do pânico podem apresentar sintomas de ansiedade no início do tratamento com antidepressivos, que geralmente desaparecem em duas semanas. Não deve ser administrado a pacientes que estejam recebendo inibidores da monoaminoxidase (IMAOs), com exceção de selegilina em doses de até 10 mg por dia. CIPRAMIL pode ser instituído 14 dias depois da suspensão de IMAOs não-seletivos e no mínimo um dia depois da suspensão de moclobemida. O tratamento com IMAOs pode ser introduzido 7 dias depois da suspensão de CIPRAMIL. Hiponatremia tem sido relatada como uma reação adversa rara com o uso de ISRSs, sendo os idosos, especialmente, um provável grupo de risco. A cessação abrupta de ISRSs após uso prolongado pode produzir sintomas de descontinuação, como tontura, parestesia, tremor, ansiedade, náuseas e palpitação. Recomenda-se que a descontinuação do tratamento seja realizada através da redução gradual da posologia ao longo de uma a duas semanas. A possibilidade de tentativa de suicídio é inerente à depressão e pode persistir até que ocorra remissão significativa. Pacientes potencialmente suicidas não devem ter acesso a grandes quantidades de drogas. Caso o paciente entre na fase maníaca, o uso de CIPRAMIL deverá ser interrompido. CIPRAMIL deve ser utilizado com cuidado em pacientes com antecedente de convulsões, assim como outros antidepressivos. CIPRAMIL pode modificar as respostas de insulina e glicose, exigindo ajuste da terapia antidiabética em pacientes com diabetes. Raramente, a ocorrência de 'síndrome serotoninérgica' (agitação, confusão, tremor, mioclonia e hipertermia) tem sido relatada em pacientes que estejam recebendo ISRSs. Uso durante a gravidez e a lactação: Estudos de toxicidade reprodutiva não forneceram evidências de uma incidência aumentada de dano fetal ou outros efeitos deletérios sobre o processo reprodutivo. A experiência clínica de uso em mulheres grávidas é limitada. Recomenda-se cuidado em mulheres em fase de amamentação, avaliando-se o risco/benefício. Efeitos na capacidade de dirigir ou operar máquinas: Os pacientes devem ser advertidos quanto à sua capacidade de dirigir carro e operar máquinas.
© 2000 - 2019 Bibliomed, Inc. Todos os Direitos Reservados contato imprensa