Manual de Diálise - 2ª Ed - Capítulo 31 - Toxicidade do Alumínio

Patrick C. D’Haese. Marc E. De Broe. . Os mecanismos que protegem contra o acúmulo de alumínio (excreção renal e barreira gastrointestinal) estão ausentes nos pacientes submetidos à diálise ou são altamente exigidos pela ingestão de doses farmacológicas de sais de alumínio com a finalidade de quelar o fósforo enteral. As conseqüências clínicas do envenenamento por alumínio nos pacientes submetidos à diálise incluem síndrome neurológica, doença óssea induzida por alumínio, miopatia e anemia. Conhecer os fatores de risco do paciente, reconhecer os sinais e sintomas iniciais e acompanhar regularmente os níveis séricos de alumínio são recomendações que limitam a ocorrência da toxicidade pelo alumínio nos pacientes submetidos a diálise.. . I. Fatores de risco. . A.Citrato e quelantes de fósforo que contêm alumínio. Todos os pacientes que ingerem quelantes de fósforo contendo alumínio (p. ex., hidróxido ou carbonato de alumínio) estão sob risco de envenenamento por este mineral. O sucralfato também contém alumínio e deve ser evitado nesses pacientes. A ingesta de citrato pelos ....

Divulgação



Publicidade

conteúdos relacionados



© 2000 - 2018 Bibliomed, Inc. Todos os Direitos Reservados contato imprensa