PEDIATRIA AMBULATORIAL 2a Edição - Capítulo 05 O Paciente Pediátrico com Doença Crônica

Fonseca - 05 Rita de Cássia Coelho Moraes de Brito. Daniele Rodrigues Leal. Márcia Jaqueline Alves de Queiroz Sampaio. INTRODUÇÃO. A evolução da medicina vem permitindo o tratamento mais efetivo para enfermidades graves e a sobrevida com sequelas de crianças que estiveram criticamente enfermas (prematuridade, traumatismos, infecções, oncológicas). Esses fatores aumentam a sobrevida de crianças portadoras de doenças crônicas orgânicas até a adolescência e a idade adulta. Entretanto, apesar de todos esses avanços científicos e tecnológicos, um grupo de pacientes portadores de doenças crônicas sofre com alterações orgânicas, emocionais e sociais que exigem constantes cuidados e adaptações.. Define-se doença crônica como condição que apresenta duração prolongada, podendo ser incurável ou deixando sequelas e impondo limitações às funções do indivíduo, a ponto de exigir adaptações contínuas para continuar executando atividades habituais. A principal característica da doença crônica é o tempo de duração. Essa definição a partir do tempo de adoecimento e da frequência aos serviços de saúde, ou ainda do impedimento das atividades de rotina, direciona os profissionais para o diagnóstico, porém não dimensiona....

Divulgação



Publicidade

conteúdos relacionados



© 2000 - 2017 Bibliomed, Inc. Todos os Direitos Reservados contato imprensa