Compêndio de Neurologia Infantil – 2a edição - Capítulo 67 - Depressão Infantil

FONSECA - 67 Ana Christina Mageste Pimentel. INTRODUÇÃO. A psiquiatria há muito deixou de ser empírica, passando pela forte influência da psicanálise, do aspecto descritivo da fenomenologia, até os dias atuais, em que o avanço da farmacogenética e da farmacogenômica traduz-se na expectativa de uma prescrição personalizada.. Apesar de todos esses avanços, muitas questões permanecem, e há muito o que buscar, como no caso da depressão, que, como intensa epidemia, ameaça o homem contemporâneo, suscitando nele, apesar do avanço tecnológico, sentimentos análogos aos que a peste costumava desencadear no homem medieval (Polaino, 1995). Essas interrogações são especialmente dolorosas quando a depressão aparece em crianças e jovens.. Para estudá-la, a tendência atual é de sistematização das manifestações clínicas dos transtornos depressivos, levando em consideração as várias fases do desenvolvimento da criança e do adolescente em seu ciclo vital.. Tendo em vista a variedade etiológica e clínica das manifestações depressivas na infância e na adolescência, o tema será abordado a partir de um enfoque desenvolvimental, procurando organizar....

Divulgação



Publicidade

conteúdos relacionados



© 2000 - 2017 Bibliomed, Inc. Todos os Direitos Reservados contato imprensa