Compêndio de Neurologia Infantil – 2a edição - Capítulo 58 - Encefalopatia Crônica (Paralisia Cerebral)

FONSECA - 58 Seção XII. Encefalopatias Infantis Não Progressivas. Parte A. Luiz Fernando Fonseca. Renato Pacheco de Melo . Sílvia Santiago Cordeiro . Maria Letícia Gambogi Teixeira. INTRODUÇÃO. A paralisia cerebral (PC) é uma encefalopatia crônica infantil que se caracteriza por distúrbios motores de caráter não progressivo, os quais se manifestam em um cérebro em desenvolvimento (antes dos 3 anos de idade), levando a distúrbios de motricidade, tônus e postura, podendo ou não se associar a déficits cognitivos e sensoriais. . Essa condição clínica foi descrita em 1843, por um ortopedista inglês, William John Little, que observou 47 crianças portadoras de rigidez espástica. Esse autor associava a etiologia dos casos descritos a fatores adversos relacionados ao nascimento. O termo PC foi introduzido, no século XIX, por Freud enquanto estudava a “síndrome de Little”.1. INCIDÊNCIA. A incidência da PC tem se apresentado estável nos últimos anos. Com o progresso dos cuidados intensivos perinatais, a expectativa era de redução do número de casos. Contudo,....

Divulgação



Publicidade

conteúdos relacionados



© 2000 - 2017 Bibliomed, Inc. Todos os Direitos Reservados contato imprensa