Compêndio de Neurologia Infantil – 2a edição - Capítulo 13 - Infecções Congênitas e Perinatais

FONSECA - 13 Rodrigo Carneiro de Campos . Andrea Lucchesi de Carvalho. Gláucia Manzon Queiroz de Andrade . Flávia Alves Campos.  . INTRODUÇÃO. Durante a gestação, as mulheres estão expostas a inúmeros agentes infecciosos prevalentes na região que habitam. Se infectadas, as gestantes podem transmitir verticalmente o microrganismo ao filho, causando comprometimento variável, de leve a grave. A infecção é dita congênita quando o feto se infecta durante a gravidez e perinatal quando se dá no parto ou nas primeiras 3 semanas de vida da criança. As sequelas mais importantes observadas nas crianças com infecção congênita ou perinatal são as oculares e neurológicas. Os agentes infecciosos implicados nessas infecções estão incluídos no acrônimo TORCH (toxoplasmose, rubéola, citomegalovírus, herpes simples), recentemente expandido para contemplar outros microrganismos reconhecidos como causadores de infecção fetal (enterovírus, Treponema pallidum, vírus varicela-zoster, vírus da imunodeficiência adquirida e parvovírus, entre outros).1. A infecção fetal pode ocorrer em qualquer época da gestação, da concepção até o parto,....

Divulgação



Publicidade

conteúdos relacionados



© 2000 - 2017 Bibliomed, Inc. Todos os Direitos Reservados contato imprensa