Compêndio de Neurologia Infantil – 2a edição - Capítulo 60 - Prognóstico da Função Motora em Indivíduos com Paralisia Cerebral

FONSECA - 60 - PAG 699 - horizontal Valéria Cristina Rodrigues Cury. Quando o diagnóstico de paralisia cerebral (PC) é comunicado aos pais, o que ocorre geralmente nos primeiros 18 meses de vida da criança, surgem questões relacionadas à gravidade dessa condição e à insegurança sobre o futuro de seus filhos. A notícia de que a criança com PC provavelmente terá atraso na aquisição dos marcos motores e presença de movimentos e posturas anormais provoca dúvidas e ansiedade nos pais.1 Perguntas aos diferentes profissionais que lidam com essa clientela são frequentes e, geralmente, os subsídios para respondê-las são fundamentados na experiência clínica, nos sinais neurológicos e na aquisição de marcos motores, comparados a referências normativas.2 Informações objetivas sobre o desenvolvimento da função motora grossa ao longo do tempo são escassas e ainda menos precisas quando são consideradas crianças de diferentes níveis de comprometimento motor. Desse modo, perguntas típicas de pais desejosos em saber se seus filhos serão capazes de caminhar ou ansiosos com informações sobre o que o futuro os reserva têm respostas respaldadas em evidências científicas limitadas.2,3. O desenvolvimento de estudos que....

Divulgação



Publicidade

conteúdos relacionados



© 2000 - 2017 Bibliomed, Inc. Todos os Direitos Reservados contato imprensa